! Souza decide e Flamengo bate o Vasco - 17/07/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  17/07/2005 - 17h53
Souza decide e Flamengo bate o Vasco

MBPress
No Rio de Janeiro

Folha Imagem 
O atacante Jean agradece o gol marcado por Souza na vitória sobre o Vasco
O Flamengo precisou de um chute certeiro de um estreante para amenizar sua situação no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, logo em seu debute com a camisa rubro-negra, o meia Souza marcou o gol da vitória por 1 a 0 no "clássico dos desesperados" contra o Vasco, em Volta Redonda.

Com a vitória, o Flamengo chegou aos 12 pontos e deixou a zona de rebaixamento, ocupando a 17ª colocação. O time não triunfava havia sete jogos - mais de dois meses - e vinha de uma seqüência de três derrotas. Outro tabu quebrado foi o de sucesso em clássicos.

A estiagem em duelos estaduais estendia-se desde a final do Campeonato Estadual de 2004, no dia 18 de abril, quando superou o time cruz-maltino por 3 a 1. A partir de então foram 11 duelos, com cinco derrotas e seis empates.

Já o Vasco continua atolado na área de descenso, com nove pontos, e na penúltima posição. Sem vencer há sete jogos, a equipe coleciona seu terceiro revés consecutivo.

FICA PARA A PRÓXIMA
O jogo contra o Flamengo poderia ter sido histórico para Romário. Caso marcasse pelo menos uma vez, o atacante vascaíno se igualaria a Zico como o segundo maior artilheiro de todos os Campeonatos Brasileiros.

O ranking tem a liderança de Roberto Dinamite, que fez carreira atuando pelo Vasco, e marcou 190 vezes. Em seguida, aparece o flamenguista Zico, com 135. Romário vem na cola, com 134.

Se não fosse o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), o camisa 11 já estaria ao lado do ex-jogador do Flamengo. Na primeira rodada do Brasileiro, ele fez um gol no empate por 2 a 2 contra o Brasiliense. Porém, o jogo acabou anulado e Romário "perdeu" seu gol.

Na partida deste domingo, o atacante, aos 39 anos, teve atuação discreta e quase não foi notado
Estreante da tarde, o meia Souza teve atuação decisiva. Ele definiu a partida no primeiro tempo, ao acertar um chute da intermediária no ângulo do goleiro vascaíno.

"Gol importante para a equipe e fico feliz com isso. Senti a falta de ritmo de jogo. Às vezes a cabeça pensava, mas o corpo não respondia", disse o herói rubro-negro, que acabou substituído no segundo tempo por Fellype Gabriel.

Por outro lado, Júnior Baiano quase repetiu a saga da partida contra o São Paulo, quando marcou um belo gol contra. O zagueiro teve uma jornada atrapalhada e, sobretudo no primeiro tempo, transformou-se no principal atacante vascaíno. Ele chegou a agradecer aos céus o fato de uma de suas pixotadas não ter acabado em auto-gol.

O duelo era considerado vital para os dois treinadores. Sorte de Celso Roth, que venceu e deve ter uma sobrevida. Tanto Roth quanto Dário Lourenço sofreram com fortes pressões durante a semana. Na Gávea, torcedores tiveram uma reunião com dirigentes e pediram a demissão do técnico.

Em São Januário, a semana começou com notícias de que Romário sobrepusera Dário e escalara o time. Porém, ambos vieram a público desmentir a informação e o treinador classificou as informações como "covardia".

Contudo, a nova derrota provocou o pedido de demissão de Dário Lourenço. Após a partida, o treinador se despediu dos atletas no vestiário e entregou o cargo.

"Eu tenho família, amigos. O que aconteceu durante a semana foi muito difícil. Disseram que ele escalou e não foi nada disso", disse Dário, que atribuiu aos maus resultados sua saída do Vasco:

"De repente, não tive sorte e o próximo que vier pode ter. Ganhei muito no clube, muitos amigos, o presidente, principalmente, que é uma grande pessoa e sabe que poderá contar comigo dentro ou fora do Vasco. Não poderia deixar de vir aqui neste jogo em respeito a ele. Se gostava do Vasco, agora gosto mais ainda."

Curiosamente, desde que a "lei da mordaça" foi instituída, há três rodadas, o time alvinegro só colecionou fracassos. Em silêncio, o Vasco perdeu para Goiás, Internacional (ambos dentro de casa) e Flamengo.

O time de São Januário utilizou seu quinto goleiro nesta temporada. A bola da vez foi Elinton, amigo pessoal de Romário. Durante a semana ele demonstrou insegurança nos treinamentos, mas no jogo teve uma atuação regular.

A chance de o Flamengo manter viva sua reação no Brasileiro acontecerá na próxima quinta-feira, às 20h30, contra o Juventude, no estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador. Nas três partidas em que realizou no local, só venceu a primeira (contra o Santos). Depois, empatou com o Atlético-PR e perdeu para o Brasiliense.

JEJUM DO FLA EM CLÁSSICOS
Flamengo 1 x 2 Fluminense
Flamengo 0 x 1 Vasco
Flamengo 0 x 0 Botafogo
Flamengo 1 x 2 Fluminense
Flamengo 0 x 1 Vasco
Flamengo 0 x 0 Botafogo
Flamengo 2 x 2 Fluminense
Flamengo 2 x 2 Botafogo
Flamengo 2 x 2 Vasco
Flamengo 1 x 4 Fluminense
Flamengo 0 x 0 Fluminense
Por sua vez, o Vasco terá um difícil obstáculo para pôr fim à má fase. O adversário na 13ª rodada será o Santos, na Vila Belmiro, às 21h45. Até o momento, o time de São Januário coleciona um empate e três derrotas longe do Rio de Janeiro.

Há ainda uma "vitória virtual" contra o Brasiliense, . Em campo, o jogo terminou 2 a 2, mas o STJD anulou a partida porque, mesmo proibido, o time candango permitiu a venda de ingressos.

O jogo
Antes mesmo de a partida começar, a torcida do Flamengo, demonstrando descontentamento com a fase do time gritava "queremos raça". Quando a bola rolou, os dois times se esmeraram na marcação.

Buscando jogar pelas pontas, o time rubro-negro assustou aos 5min. Renato rolou para trás e Augusto Recife chutou rente ao ângulo direito de Elinton. Depois do susto, o Vasco melhorou e passou a ter mais posse de bola.

Porém, foi Jean quem deu outro chute perigoso, aos 16min. Depois de um espetáculo de passes errados, o Flamengo assustou novamente aos 23min. Leonardo Moura cobrou falta da intermediária e Elinton espalmou para escanteio.

Vilão na derrota para o São Paulo, na última rodada, Júnior Baiano quase prejudicou sua novamente. Após cruzamento na área, aos 26min, o zagueiro tentou matar no peito e sair jogando, mas entregou para Alex Dias. O centroavante recebeu e chutou por cima.

Disposto, mas sem qualidade técnica, as equipes continuaram brigando. Aos 31min, Leonardo Moura tentou surpreender Elinton com um toque de calcanhar, mas o goleiro defendeu. Na sobra, Jean furou.

De tanto finalizar mal, enfim, o Flamengo acertou uma. Aos 35min, o estreante Souza chutou da intermediária e mandou no ângulo esquerdo de Elinton. Antes de entrar, a bola desviou levemente na cabeça do zagueiro Ciro.

Na saída de bola, o Vasco quase empatou. Wagner Diniz driblou Renato e chutou rente à trave. Bem nas bolas paradas, Leonardo Moura cobrou falta perigosa aos 41min.

Em tarde infeliz, Júnior Baiano quase marcou o segundo gol contra em duas partidas no minuto seguinte. O zagueiro foi cortar, mas colocou a bola próxima ao gol. Aliviado, o defensor ergueu as mãos para o céu e agradeceu a "sorte".

O Flamengo começou o segundo tempo levemente superior, mas sem criar oportunidades. Já o Vasco chutou aos 10min. Diego bateu e o goleiro flamenguista defendeu sem dar rebote.

Em ritmo lento, o jogo prosseguiu. Enquanto o time alvinegro apertou, o Flamengo apostou em contragolpes. Aos 25min, Ciro subiu mais que a zaga adversária, mas cabeceou por cima do travessão.

Um minuto depois, Fellype Gabriel, que acabara de entrar no lugar de Souza, roubou a bola e passou para Renato. O ala bateu cruzado, Jean dominou e chutou em cima de Elinton. Aos 29min, Leonardo Moura saiu driblando desde o meio-campo e finalizou com muito perigo.

O clube da Gávea continuou melhor e aos 34min Obina driblou um marcador e acertou o lado de fora da rede. No fim, o Vasco tentou um ineficaz sufoco e colecionou sua terceira derrota seguida.

FLAMENGO
Diego; Henrique, Júnior Baiano e Rodrigo; Leonardo Moura, Da Silva, Augusto Recife, Souza (Fellype Gabriel) e Renato; Jean e Obina (Fabiano Oliveira)
Técnico: Celso Roth

VASCO
Elinton; Wagner Diniz, Ciro, Éder e Diego (Jorginho Paulista); Ygor, Felipe Alves (Gian), Róbson Luiz (Dominguez) e Morais; Alex Dias e Romário
Técnico: Dário Lourenço

Data: 17/7/2005
Local: estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)
Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa-RS)
Auxiliares: José Cláudio Paranhos e Marcos Tadeu Penichi (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Ygor (V), Augusto Recife (F), Éder (V), Ciro (V), Da Silva (F)
Gol: Souza, aos 35min do primeiro tempo

Leia mais


Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias