! Fabrício se redime e tira Atlético-PR da lanterna - 17/07/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  17/07/2005 - 17h47
Fabrício se redime e tira Atlético-PR da lanterna

MBPress
Em Campinas

Fabrício, meia do Atlético-PR, deixou o Morumbi, na última quinta-feira, como um dos culpados pela perda do título da Copa Libertadores diante do São Paulo. O jogador desperdiçou uma cobrança de pênalti, aos 45min do primeiro tempo. Neste domingo, apoiado por seus familiares, que estenderam faixas de incentivo no Mineirão, Fabrício marcou o gol da vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-MG.

TORCIDA PEDE EMERSON LEÃO
Os torcedores do Atlético-MG voltaram a pedir a cabeça do técnico Tite. Neste domingo, durante a derrota por 3 a 2 para o Atlético-MG, o nome de Emerson Leão voltou a ser gritado.

Se depender dos números, Tite deve cair. Em 16 jogos no comando do Alvinegro, o treinador conquistou apenas três vitórias, cinco empates e oito derrotas.

O atual técnico atleticano confirma que irá conversar com a direção do clube. No entanto, os dirigentes não demonstram vontade de mudar o comando técnico da equipe.
Leia mais
O resultado tirou o rubro-negro paranaense da lanterna do Brasileirão, chegando aos nove pontos e subindo duas posições, agora em 20° lugar, na tabela de classificação. Já os mineiros, com apenas oito, estão na rabeira do torneio nacional.

Este, aliás, foi o segundo triunfo consecutivo do Atlético-PR, o primeiro fora de casa. No domingo passado, o clube derrotou o arqui-rival Coritiba por 1 a 0, na Arena da Baixada, com um time repleto de reservas. Em Belo Horizonte, porém, o treinador voltou a utilizar os titulares.

"Agora que conseguimos sair da lanterna temos que nos manter e somar pontos fora de casa para não voltar para ela. É horrível ser lanterna", afirmou o atacante Lima, autor do primeiro gol.

No retorno da equipe "A", o time do Sul anotou pela primeira vez na competição três gols em um mesmo jogo. Apesar da reação, o Atlético-PR continua com o pior ataque, tendo marcado apenas nove vezes em 12 rodadas.

Enquanto os paranaenses dão mostras de reação mesmo depois de ficar com o vice na Libertadores, os mineiros se afundam em uma crise sem fim. Na rodada anterior, o Atlético-MG perdeu por 2 a 1 para o maior adversário, o Cruzeiro, aumentando a pressão da torcida sobre jogadores e comissão técnica.

Com mais um tropeço, o Alvinegro contabiliza agora quatro derrotas jogando em Belo Horizonte em seis jogos disputados. As únicas vitórias aconteceram contra Figueirense, na estréia, e Flamengo. No total, o clube soma oito resultados negativos, contagem máxima entre todos os participantes.

ATLÉTICO-PR DIVIDE NACIONAL
O técnico Antônio Lopes, do Atlético-PR, dividiu a seqüência do Campeonato Brasileiro em três etapas, cada uma com dez jogos.

Ao final da terceira, o treinador espera ver sua equipe novamente na Copa Libertadores, competição onde foi finalista em 2005.

Mas o treinador não perde o foco no atual momento do time. "A primeira preocupação é sair da zona de rebaixamento", conta.
Leia mais
O Atlético-MG volta a campo na próxima quarta-feira para enfrentar o Fortaleza, às 20h30, no estádio Castelão, no Ceará. O Atlético-PR recebe o Fluminense, no mesmo dia e horário, na Arena da Baixada, em Curitiba.

O jogo
A escalação do Atlético-MG com três atacantes não surtiu o efeito esperado pelo técnico Tite no início do jogo. Com apenas Rodrigo Fabri responsável pela armação das jogadas, o time foi facilmente dominado pelo adversário. Com isso, Luís Mário, Marques e Fábio Júnior ficaram praticamente isolados no ataque.

Se o ataque não mostrava eficiência, a defesa começou a falhar logo aos 10min, na primeira vez que os paranaenses chegaram com perigo ao gol. Após bola dividida na entrada da área, Evandro tocou para Lima na direita. O atacante chutou forte e rasteiro, acertando o canto esquerdo de Danrlei para o abrir o placar.

Os mineiros quase empataram no minuto seguinte. Marques recebeu passe na esquerda, passou pela marcação de Danilo e chutou forte. Diego, bem colocado, conseguiu espalmar no centro da meta e jogar a bola para escanteio.

Com dificuldade para pressionar, o técnico Tite sacou o atacante Luís Mário e deu nova chance ao volante Amaral com a intenção fechar o setor e dar mais liberdade aos laterais. A mudança, porém, não deu certo e o Atlético-PR chegou ao segundo gol exatamente em uma jogada pelo meio-campo.

Aos 42min, em contra-ataque, Evandro lançou Caetano, que acabara de entrar no lugar de Aloísio, machucado. O atacante ganhou de um marcador na velocidade, driblou Danrlei e tocou para o fundo do gol.

Na volta do intervalo, os mineiros voltaram a ter uma formação mais ofensiva. Euller foi a campo na vaga de Ataliba. E, desta vez, a alteração melhorou o rendimento da equipe. Logo aos 3min, Fábio Júnior tentou driblar o goleiro Diego, mas perdeu a bola. No rebote, Marques tocou alto e descontou.

O gol animou os alvinegros, que continuaram na pressão. Empurrado pela torcida, o Atlético-MG lançou-se ao ataque e não demorou a empatar. Aos 10min, Rubens Cardoso recebeu na esquerda, driblou Lima e chutou cruzado, acertando o canto de Diego.

Quando o Atlético-MG caminhava para a virada, o Atlético-PR acordou. Os visitantes corrigiram a marcação nas laterais e passaram a se arriscar em busca do terceiro gol. E ele veio aos 38min. Fabrício cobrou falta pela esquerda, a bola passou pela defesa e entrou no canto esquerdo do gol adversário.

ATLÉTICO-MG
Danrlei; Zé Antônio, Lima, Leandro Castan e Rubens Cardoso; Walker (Rafael Miranda), Ataliba (Euller) e Rodrigo Fabri; Luís Mário (Amaral), Marques e Fábio Júnior
Técnico: Tite

ATLÉTICO-PR
Diego; Jancarlos, Danilo, Paulo André e Marcão (Beto); André Rocha (Ticão), Alan Bahia, Fabrício e Evandro; Lima e Aloísio (Caetano)
Técnico: Antônio Lopes

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Luiz Antônio Silva Santos (RJ)
Auxiliares: Carlos Henrique Alves de Lima e João Luiz Ribeiro Magalhães (ambos do RJ)
Cartões amarelos: André Roca (AP), Ataliba (AM), Lima (AP), Marcão (AP), Jancarlos (AP)
Gols: Lima, aos 10min, e Caetano, aos 42min do primeiro tempo; Marques, aos 3min, Rubens Cardoso, aos 10min, e Fabrício, aos 38min do segundo tempo

Leia mais


Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias