! Paraná vence Figueirense e conquista a trinca - 09/07/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  09/07/2005 - 17h55
Paraná vence Figueirense e conquista a trinca

MBPress
No Rio de Janeiro

Antes do início do Campeonato Brasileiro, poucos apostariam em um sucesso do Paraná, que nas últimas temporadas invariavelmente lutou contra o rebaixamento. Entretanto, a equipe vem surpreendendo no atual certame e conseguiu sua terceira vitória consecutiva neste sábado, ao vencer o Figueirense por 3 a 0, no Pinheirão, em Curitiba.

O triunfo levou o time tricolor aos 18 pontos e aproximou o clube da zona de classificação para a Copa Libertadores do ano que vem, estando agora na 7ª posição. Já o Figueirense, que estava invicto havia cinco jogos, segue com dez pontos e, dependendo dos resultados deste domingo, poderá retornar à zona do descenso.

Para chegar a trinca, o Paraná, além de bater o Figueirense, derrotou anteriormente o Atlético-MG e o Fluminense, ambos pelo placar de 1 a 0.

Antes da bola rolar esta tarde, a torcida do Paraná depositava grande esperança na sua dupla de ataque, formada por Borges e Renaldo. Mas os atacantes nem precisaram balançar as redes para o placar ser construído.

Nesta tarde, o ala Neto e o meia Tiago Neves acertaram dois belos chutes e, junto ao oportunismo de André Dias, deram a vitória à equipe. Renaldo ainda perdeu dois pênaltis, fato inédito na sua carreira.
A 1ª e 2ª vez de Renaldo
O centroavante Renaldo, de 35 anos, costumava dizer que nunca havia perdido um pênalti na carreira e gabava-se de tal fato. Até que teve pela frente o goleiro Edson Bastos, do Figueirense.

Nesta tarde, no estádio do Pinheirão, o camisa 1 defendeu os dois pênaltis que foram cobrados pelo jogador e acabou com a invencibilidade do atacante. "Hoje [sábado] foi o dia mais triste da minha vida. Estou muito frustrado por ter perdido dois pênaltis", disse Renaldo.


Com os três pontos, o Paraná ainda manteve o tabu de não perder desde 1991 para o Figueirense em Curitiba. De lá para cá, foram seis confrontos e seis triunfos tricolor. Além disso, o time dirigido por Lori Sandri segue tendo ótimo retrospecto quando joga em casa, com três vitórias, dois empates e apenas uma derrota.

Aproveitamento oposto possui o Figueirense como visitante. Atuando longe de Florianópolis, a equipe só triunfou uma vez, perdendo três vezes e empatando outras duas.

Na próxima rodada, o Paraná volta a jogar em casa, quando receberá no sábado o Corinthians, às 18h10. No mesmo dia, o Figueirense encara a Ponte Preta no Moisés Lucarelli, às 16h.

O jogo
O Figueirense iniciou o jogo dando a falsa impressão de que incomodaria o Paraná. Com atitude, os catarinenses começaram a partida com mais posse de bola e buscando o ataque.

Entretanto, o ímpeto dos visitantes durou apenas 15min, quando Vicente tratou de assustar com um chute de fora da área que passou raspando o travessão de Edson Bastos.

O Figueirense então se encolheu e a partir daí só deu Paraná, que não demorou a abrir o marcador. Aos 20min, Borges fez boa jogada pela direita e deu ótimo passe para Neto. O ala, da entrada da área, bateu cruzado e colocou o time tricolor na frente.

Dominando inteiramente a partida, os donos da casa poderiam ter deixado a etapa com um placar mais elástico. Aos 39min, Borges foi agarrado por Cléber dentro da área. Pênalti, que Renaldo bateu e Edson bastos defendeu.

Aos 43min, o zagueiro Cléber, que ainda não tinha recebido cartão amarelo, deu um carrinho frontal no meia Beto. Seguindo as novas orientações da Fifa, que exige que os árbitros coíbam com rigor esse tipo de infração, o árbitro Rodrigo Cintra expulsou o defensor do Figueirense.

Para consertar a equipe, o técnico Marco Aurélio fez duas alterações no intervalo: tirou o volante Flávio e o meia Marquinhos Paraná e colocou o zagueiro Márcio Martins e o atacante Adriano.

Nem deu para ver se as substituições surtiriam efeito. Logo aos 6min, o meia Tiago Neves acertou um lindo chute de fora da área, no ângulo esquerdo de Edson Bastos, e ampliou o placar. Um golaço.

Com a vantagem construída, o Paraná diminuiu o ritmo e o jogo passou a ser disputado de forma mais lenta. Até que aos 31min Renaldo foi empurrado sem bola dentro da área por Eloy. Pênalti, que o próprio cobrou e mais uma vez perdeu, com Edson Bastos defendendo sem dar rebote.

Mas, aos 35min, André Dias, que tinha entrado no lugar de Borges, fez o terceiro. O atacante acreditou em lançamento na área e tocou na saída do goleiro Edson Bastos. Foi a terceira vitória seguida do Paraná.

PARANÁ
Flávio; Daniel Marques, Aderaldo e Marcos; Neto (Parral), Rafael Mussamba (Mário César), Beto, Tiago Neves e Vicente; Renaldo e Borges (André Dias)
Técnico: Lori Sandri

FIGUEIRENSE
Edson Bastos, Paulo Sérgio, Cléber, Eloy e Michel Bastos; Axel (Rudnei), Flávio (Márcio Martins), Bilu e Marquinhos Paraná (Adriano); Alexandre e Edmundo
Técnico: Marco Aurélio Moreira

Local: estádio do Pinheirão, em Curitiba (PR)
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Auxiliares: Geraldo José Vollet Pinheiro (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Cartões amarelos: Marcos (P), Beto (P), Michel Bastos (F), Paulo Sérgio (F)
Cartão vermelho: Cléber (F)
Gols: Neto, aos 20min do primeiro tempo, Tiago Neves, aos 6min, e André Dias, aos 35min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias