! Em nova fase, líder Botafogo vence lanterna Atlético-PR - 29/05/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  29/05/2005 - 20h01
Em nova fase, líder Botafogo vence lanterna Atlético-PR

MBPress
No Rio de Janeiro

Sinal de novos tempos no futebol. Há cinco meses, o Botafogo enfrentava o Atlético-PR precisando vencer para fugir do rebaixamento, enquanto a equipe do Paraná tentava a vitória para continuar sonhando com o título Brasileiro de 2004. Neste domingo, no Rio, o time carioca venceu o paranaense por 2 a 0 e se isolou na liderança do campeonato, ao mesmo tempo em que manteve o adversário na última posição do certame. O primeiro gol, de Rafael Marques, saiu aos 53 segundos de jogo.

Com o resultado, o Botafogo foi a 15 pontos ganhos (mantendo 100 % de aproveitamento em casa) e deixou o Atlético-PR no "fundo do poço", com zero. O atual vice-campeão brasileiro é o único time deste campeonato que perdeu todos os seis jogos que disputou.
TÚLIO VIBRA COM LIDERANÇA
Ao recordar as situações de Botafogo e Atlético-PR no Brasileiro do ano passado, o volante alvinegro vibrou muito após a vitória do seu time por 2 a 0, que deu à equipe a liderança isolada deste campeonato. O jogador disse que agora sabe como é bom ser líder e se mostrou solidário à crise que o adversário atravessa.Leia mais

A vitória do Botafogo serviu para que o time recuperasse a confiança. Depois de igualar seu melhor início de Brasileiro de todos os tempos (em 1981), ao vencer as quatro primeiras partidas deste ano, a equipe carioca foi goleada pelo Goiás por 4 a 0 no último sábado.

O péssimo resultado causou na torcida um clima temeroso de que o Botafogo pudesse ser o "cavalo paraguaio" da competição. Tanto que durante a semana, jogadores e comissão técnica se preocuparam em declarar que a derrota não abalaria a confiança do grupo, e estava sendo encarada como um acidente de percurso. Com a vitória, o Alvinegro deu uma prova momentânea de que a goleada foi uma obra do acaso.

Já para o Atlético-PR, a derrota para o Botafogo foi uma "ducha de água fria" no time. O grupo estava motivado para o jogo deste domingo pela inédita classificação às quartas-de-final da Libertadores, conquistada na última quinta-feira, após uma vitória nos pênaltis sobre o Cerro Porteño, no Paraguai.

Por isso, os rubro-negros estavam na expectativa de vencer a equipe carioca para ganhar mais confiança para o jogo de ida das quartas-de-final da Libertadores. O Atlético-PR vai jogar pela primeira vez nesta fase da competição enfrentando o Santos, nesta quarta-feira, em Curitiba.

Outro fator motivacional para o Atlético-PR neste jogo contra o Botafogo era a estréia do técnico Antônio Lopes no comando da equipe. O treinador foi contratado para substituir o interino Borba Filho, que conquistou duas derrotas e uma vitória à frente da equipe.

O novo treinador atleticano é um técnico experiente e vencedor. Ele já conquistou diversos títulos importantes ao longo da carreira (como a Libertadores de 1998, pelo Vasco), por equipes de diferentes estados do Brasil. Antes de ser contratado pelo Atlético-PR, ele estava no comando do arqui-rival Coritiba, e era o técnico do futebol brasileiro que estava há mais tempo empregado no mesmo clube: 16 meses.

Pelo currículo de respeito, a vinda de Lopes animou o abalado elenco rubro-negro. Além disso, geralmente, a chegada de um novo treinador a um clube motiva os jogadores, que procuram mostrar serviço para o novo comandante.

Entretanto, a motivação dos jogadores do Atlético-PR não foi maior do que a dos atletas do Botafogo, como prometera na sexta-feira o goleiro Jefferson, que disse que o adversário não poderia "roubar o prato de comida" dos alvinegros dentro da casa da equipe carioca.

A partida deste domingo também marcou o reencontro do time do Botafogo com a sua torcida. O clube da Estrela Solitária foi punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva com a proibição da entrada de torcedores nos dois primeiros jogos em que o time teve o mando de campo neste ano.

A punição se refere a um tumulto provocado pela torcida do Botafogo na partida da penúltima rodada do Brasileiro do ano passado, contra o Corinthians, no Caio Martins. Na ocasião, alguns torcedores, revoltados com a derrota do time carioca por 2 a 1, que deixou a equipe muito próxima do rebaixamento, invadiram o campo para protestar e entraram em confronto com policiais militares.

O Botafogo cumpriu a pena contra o Corinthians, na segunda rodada, e diante do Atlético-MG, na quarta. Neste domingo, pela primeira vez neste campeonato, o time pôde sentir o apoio da sua torcida no estádio Luso-Brasileiro, que foi remodelado para ser a "casa" alvinegra, já que o Maracanã está fechado para reformas visando o Pan de 2007.

Com o calor da apaixonada torcida alvinegra, que não chegou a lotar o estádio, mas incentivou bastante o time, o Botafogo acuou o Atlético-PR e conseguiu atingir o seu objetivo. A última vez que a equipe da Estrela Solitária havia jogado diante da sua torcida foi contra o Vasco, na terceira rodada, mas apenas 2.600 botafoguenses puderam comparecer, pois o jogo foi em São Januário, estádio que pertence ao rival.

A última vez em que o Botafogo tinha jogado apenas para a sua torcida foi no dia 6 de abril, quando o time empatou com o Paulista por 2 a 2, no Maracanã, e foi eliminado da competição.

Botafogo e Atlético-PR só voltam a campo pelo Brasileiro daqui a quase duas semanas. Isso porque o campeonato sofrerá uma pausa por causa dos jogos da seleção brasileira pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

No próximo domingo, dia 5 de junho, o Brasil enfrenta o Paraguai, e no dia 8, encara a Argentina. Por isso, o Botafogo só volta a jogar no sábado, dia 11 de junho, contra o Juventude, no Rio. Já o Atlético-PR recebe o Figueirense, em Curitiba, no dia seguinte.

O jogo
O Atlético-PR deu a saída, mas o Botafogo abriu o placar com o segundo gol mais rápido deste Brasileiro, aos 53 segundos de partida. Após o pontapé inicial do time rubro-negro, Túlio roubou a bola e tocou para Alex Alves, que cruzou para a grande área, mas Baloy desviou para escanteio. Na cobrança de Glauber, Rafael Marques subiu mais alto do que todo mundo e cabeceou no canto direito do goleiro Diego, que saiu mal do gol.

Curiosamente, o gol mais rápido deste campeonato também foi marcado neste fim de semana. Neste sábado, Adriano fez um gol para o Cruzeiro aos 45 segundos de jogo.

O time da casa continuou pressionando e deu um susto no adversário aos 8min. Bill tocou para Almir, que chutou forte de longe. A bola ia entrando no canto direito, mas o goleiro Diego conseguiu espalmar para escanteio.

Só dava Botafogo. Aos 18min, César Prates, cobrando falta, chutou forte. A bola desviou na barreira e enganou o goleiro Diego, mas para a sorte do camisa 1 do Atlético-PR, foi para fora.

O Atlético-PR só ameaçou aos 22min. Lima recebeu cruzamento pelo alto e cabeceou firme, colocando a bola na trave direita de Jefferson.

O Botafogo dominava a partida, mas dificilmente conseguia chegar com perigo por causa da violência dos jogadores adversários, que paravam as jogadas do Alvinegro a todo instante.

Até que aos 40min, foi a vez do Atlético-PR ameaçar. Lima conduziu pelo lado direito e chutou cruzado, mas o goleiro Jefferson fez grande defesa.

No intervalo, o técnico Antônio Lopes mexeu no time. O treinador colocou Fabrício e Aloísio, que ameaçou o Botafogo aos 12min, numa cabeçada perigosa.

Mas o Botafogo ampliou a vantagem aos 16min, numa jogada bem trabalhada pela equipe. Glauber rolou para Alex Alves, que fez o porta-luz e deixou a bola passar para Almir. Ele recebeu livre e tocou na saída do goleiro. A bola ainda tocou na trave direita de Diego antes de entrar.

O Atlético-PR tentava diminuir através de bolas alçadas à grande área do Botafogo, Aos 33min, Eto cruzou na medida para Aloísio, que cabeceou firme, mas o goleiro Jefferson salvou o Alvinegro.

A partir daí, o Botafogo procurou valorizar a posse de bola e segurou o placar de 2 a 0 que lhe garantiu mais três pontos.

BOTAFOGO
Jefferson; César Prates, Rafael Marques, Émerson e Bill; Jonilson, Túlio, Almir e Glauber (Joílson); Caio (Ricardinho) e Alex Alves
Técnico: Paulo César Gusmão

ATLÉTICO-PR
Diego; Danilo, Baloy, Marcão e Eto; Ticão, Cocito, Rodrigo (Aloísio) e Rodriguinho (Fabrício); Cléo e Lima
Técnico: Antônio Lopes

Local: estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (SP)
Assistentes: Ednilson Corona e Vicente Romano Neto (ambos de SP)
Cartões amarelos: Eto (A), Ticão (A), Marcão (A) e Lima (A)
Gols: Rafael Marques, aos 53 segundos do primeiro tempo; Almir, aos 16 min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias