PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Seguradora cria 'fundo humanitário' para familiares das vítimas de tragédia aérea da Chape

06/07/2022 22h38


Representantes da seguradora Tokio Marine acertaram em reunião nesta quarta-feira (6) a criação de um "fundo humanitário" com o objetivo de indenizar os familiares das vítimas da tragédia áerea envolvendo a delegação da Chapecoense que ocorreu em novembro de 2016, na Colômbia.

>Mesmo com críticas, mudança na Lei Pelé é aprovada na Câmara

O valor de aporte atual será de dez milhões de dólares (algo que equivale, na atual cotação, a R$ 54,3 milhões), algo que soma a indenização total para os familiares em 25 milhões de dólares (R$ 135,7 milhões).

Na reunião que ocorreu na cidade de Londres, além de representantes da empresa, estiveram presentes integrantes da Embaixada Brasileira na capital da Inglaterra bem como o Senador Jorginho Melo. O parlamentar é presidente da CPI que investiga o acidente aéreo e fez o anúncio do acordo através de suas redes sociais.

Tanto familiares que não aceitaram as duas primeiras ofertas feitas pela Tokio Marine como as 24 famílias que receberam 225 mil dólares (R$ 1,2 milhão na cotação atual) em um segundo momento terão direito ao novo aporte.

Enquanto aqueles que não tinham acordo com a seguradora receberão 363 mil dólares (R$ 1,9 milhão) se optarem pelo recebimento imediato, os já indenizados vão receber mais 193 mil dólares, algo cotado em R$ 749 mil.

Futebol