PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com formatos diferentes fora de campo, RB Bragantino e Botafogo vivem momentos semelhantes no ano

04/07/2022 08h30


O jogo que fechará a 15ª rodada do Brasileirão marcará o encontro de dois times que optaram pela transformação em clube-empresa. RB Bragantino e Botafogo adotaram modelos diferentes, que estão em estágios distintos, porém vivem momentos semelhantes no ano. Ambos oscilam em campo e seguem na busca para alçar voos maiores na temporada.

+ RB Bragantino x Botafogo: prováveis times, desfalques e onde assistir ao confronto pelo Brasileirão


MUDANÇAS DENTRO E FORA DE CAMPO

Ao longo dos últimos anos, o debate sobre a criação de clubes-empresas tomou conta do futebol brasileiro. Em meados de 2019, a empresa austríaca de bebidas energéticas (Red Bull) decidiu entrar no mercado nacional e adquirir o Bragantino. Foram pagos R$ 50 milhões para a compra do clube-associativo e todos os títulos de sócios.

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro

Desde então, a empresa, que também atua no futebol alemão e austríaco, decidiu apostar na contratação de jovens promessas a serem lapidadas. Com um trabalho a longo prazo de Maurício Barbieri, a equipe foi finalista da Copa Sul-Americana 2020 e mostrou que também quer ser protagonista no Brasil.

A LEI DA SAF NO BRASIL E A FIGURA DO 'DONO'


Em 2021, o contexto era de um intenso debate sobre a criação das Sociedades Anônimas do Futebol. Foi então que as conversas ganharam contornos jurídicos, e a lei nº 14.193/2021 foi sancionada. Nela, clubes poderiam se transformar em SAF e passar a ter instrumentos para a capitalização de recursos e financiamento público.

+ Decisão pela Copa do Brasil, abertura da janela e jogos em São Paulo; veja o calendário do Botafogo em julho

O estabelecimento da lei trouxe um frescor ao futebol nacional e uma abertura ao mercado estrangeiro. Com isso, clubes gigantes como Cruzeiro e Botafogo, afundados em dívidas, modificaram seus estatutos e abriram a possibilidade de terem a figura dos "donos".

O norte-americano John Textor, então, adquiriu 90% da SAF alvinegra e gastou R$ 65 milhões na primeira janela de transferência. Os reflexos em campo ainda não aconteceram, mas diante de uma escolha ainda embrionária, o futuro tende a ser glorioso com promessas de mudanças também estruturais.

SEMELHANÇAS EM CAMPO: OSCILAÇÃO E TRABALHO A LONGO PRAZO

Em campo, Textor escolheu o nome de Luís Castro para comandar a equipe em campo. Com desfalques e ainda lacunas no elenco, o time ainda está longe do ideal e patina na temporada. Contudo, o projeto é a longo prazo, e o torcedor terá que ter paciência, algo que geralmente não acontece no futebol brasileiro.

+ Jogadores do Botafogo 'que jogaram a Série B' foram maioria em todas as vitórias de Luís Castro pelo Botafogo

Nesta segunda, os dois modelos se encontraram em campo. Na tabela, ambos têm 18 pontos, a seis do Fluminense, atual sexto colocado. Com a proximidade do fim do primeiro turno, os dois times estão em momentos semelhantes. O RB Bragantino foi eliminado das copas, enquanto o Botafogo sofreu uma derrota pesada para o América-MG, e terá que reverter um placar de 3 a 0.

Em campo a semelhança também é na aposta de trabalhos a longo prazo. John Textor pretende dar tempo e condição para Luís Castro trabalhar. Algo que Barbieri teve tornando-se um dos treinadores com o trabalho mais longevo do Brasil (assumiu em 4 de setembro de 2020).

Futebol