PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Federação holandesa se desculpa por ignorar denúncia de estupro de 2011

A holandesa Vera Pauw, ex-zagueira e hoje técnica da seleção feminina da Irlanda - Stephen McCarthy/Getty
A holandesa Vera Pauw, ex-zagueira e hoje técnica da seleção feminina da Irlanda Imagem: Stephen McCarthy/Getty

02/07/2022 17h35

A holandesa Vera Pauw, atual técnica da seleção feminina da Irlanda, afirmou ontem (01) que foi estuprada e agredida sexualmente há 35 anos, quando ela era jogadora, por três homens ligados ao futebol holandês. A ex-zagueira também lamentou que a federação de futebol da Holanda não tomou as providências adequadas quando ela fez as acusações, em 2011.

A revelação da treinadora resultou em um pedido de desculpas da Federação Holandesa de Futebol (KNVB). Em comunicado, a entidade classificou como "inaceitável o fato de Pauw não ter desfrutado de um ambiente de trabalho seguro".

Vera Pauw se manifestou sobre o assunto por meio das redes sociais. Hoje com 59 anos, a treinadora é considerada uma das pioneiras do futebol feminino na Holanda.

Esta foi a coisa mais difícil da minha vida, mas, finalmente, estou pronto para seguir em frente e ter orgulho de quem eu sou", escreveu, na legenda do post.

Na publicaçã, Pauw relata sobre o sentimento de poder falar abertamente sobre o caso. "Durante 35 anos, guardei este segredo do resto do mundo, da minha família, minhas companheiras e minhas jogadoras, e agora posso aceitá-lo, me aceitar. Mesmo os mais próximos de mim não sabiam desse estupro cometido por um alto funcionário do mundo do futebol quando eu era jogadora", afirmou.

"Mais tarde, fui alvo de outras duas agressões de outros homens. Todos os três trabalhavam no futebol holandês na época. Apenas aqueles em quem confio sabiam do abuso sexual sistemático, do abuso de poder, da intimidação, do isolamento que enfrentei como jogadora e como treinadora no futebol holandês. Já não posso mais ficar em silêncio", acrescentou Pauw.

"Depois de não ter uma resposta satisfatória ao meu pedido por ação em uma investigação iniciada pela Federação Holandesa após minha quinta denúncia feita a eles, eu recentemente reportei meu estupro e ataques sexuais à polícia holandesa", completou.

A Federação Holandesa de Futebol reconheceu as falhas na forma como as agressões sofridas pela treinadora foram tratadas e reafirmou que a entidade não reagiu com rapidez suficiente aos primeiros alertas dados pela então jogadora.

Futebol