PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2022

Dois torcedores do Boca Jrs. pagam fiança após detenção por injúria racial

Um dos torcedores do Boca Juniors detidos durante jogo na Neo Química Arena; nomes são mantidos sob sigilo - Yago Rudá/UOL
Um dos torcedores do Boca Juniors detidos durante jogo na Neo Química Arena; nomes são mantidos sob sigilo Imagem: Yago Rudá/UOL

29/06/2022 16h15

Classificação e Jogos

Dois dos três torcedores do Boca Juniors-ARG detidos durante o empate sem gols com o Corinthians, ontem (28), pagaram fiança estipulada em R$ 20 mil, cada um. A dupla aguarda o alvará da sede do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE) para ser liberada e aguardar os julgamentos em liberdade.

O único que segue detido é um morador de rua argentino que está no Brasil há alguns dias. Ele não tinha o valor de fiança estipulado e foi deslocado para um Centro de Detenção Policial não especificado.

Este terceiro detido não apareceu nos vídeos que viralizaram, mas foi flagrado por seguranças fazendo os gestos imitando um macaco. A cena foi registrada também no sistema de monitoramento da Neo Química Arena.

Um dos dois que pagaram a fiança foi o que fez a suposta saudação nazista no setor visitante da Neo Química Arena. Ele argumenta que estava mandando beijos para os torcedores adversários (veja o vídeo abaixo). O outro liberado diz que não imitou um macaco, e sim fez um "sobe e desce" com as mãos em provocação ao rebaixamento do Corinthians em 2007.

O argentino acusado de fazer saudação nazista teria sido liberado durante a madrugada de hoje por falta de provas, mas foi detido assim que policiais tiveram acesso a vídeos filmados por corintianos. Ele foi autuado por racismo, mas o indiciamento foi por injúria racial.

Outros três torcedores foram levados ao posto do Jecrim (Juizado Especial Criminal), espécie de delegacia montada dentro do estádio, mas foram soltos por ausência de provas substanciais. Eles não tiveram registros de imagem obtidos pela polícia. Um quarto homem flagrado em vídeo filmado por corintianos fugiu e não foi encontrado.

Na fase de grupos da Libertadores, tanto no duelo na Neo Química Arena como no jogo da Bombonera, foram registrados gestos racistas por parte de torcedores da equipe xeneize.

A Conmebol multou o Boca em 30 mil dólares (R$ 144 mil, na cotação atual) por conta de gestos racistas feito pelo torcedor Leonardo Ponzo à torcida do Corinthians, durante a vitória por 2 a 0 dos brasileiros.

No último dia 9 de maio, a Conmebol aumentou a punição para casos de racismo de 30 para 100 mil dólares (R$ 480 mil, na cotação atual). Porém, como o ocorrido na fase de grupos ocorreu antes da mudança no Código Disciplinar, o caso foi julgado internamente nos moldes antigos.

Veja os torcedores do Boca flagrados por corintianos: