PUBLICIDADE
Topo

Vôlei

Douglas Souza desabafa sobre 'assumir' sexualidade: 'Héteros não se assumem'

Jogador da seleção brasileira de vôlei comentou sobre os tabus em torno da orientação sexual - Reprodução/Twitter/@DouglasCorreiaS
Jogador da seleção brasileira de vôlei comentou sobre os tabus em torno da orientação sexual Imagem: Reprodução/Twitter/@DouglasCorreiaS

11/10/2021 14h53

Douglas Souza, ponteiro da seleção brasileira de vôlei e ouro no Rio 2016, comentou sobre os tabus em torno da orientação sexual. No Dia Internacional de 'Sair do Armário', o jogador contou à ESPN que não teve dificuldades em se assumir publicamente e abordou sobre a influência na carreira.

"Foi muito tranquilo porque acho que desde sempre eu já sabia que eu era gay, então quando eu tinha uns 10, 11 anos de idade, você está na pré-adolescência e começa a ter interesse por outras pessoas, foi quando eu reparei que o homem me atraia mais do que a mulher", começou o atleta

"Eu acho que o pior cenário é aquele onde a pessoa é menor de idade e ser totalmente dependente dos pais. Sempre existe a possibilidade dos pais não darem apoio, suporte, e você achar que está sozinho", completou.

O ponteiro ainda reflete: "Heterossexuais não se assumem. Precisamos também parar com essa ideia de que gays devem se assumir."

Douglas Souza acredita não ter a carreira impactadas após assumir a orientação. Ele diz que sempre vendeu a imagem do Douglas profissional.

"Não acho que ter assumido [minha sexualidade] impactou minha carreira pois eu sempre tento 'vender' o Douglas profissional, não a sexualidade do Douglas, isso é algo muito privado. Lógico que hoje tudo é muito exposto por conta das redes sociais, mas tento sempre ser o mais profissional possível. Acho que a sua sexualidade, independentemente de qual seja, não vai influenciar no seu ambiente de trabalho, ou pelo menos é assim que deveria ser", afirmou.

Em Tóquio 2020, Douglas Souza foi um fenômeno das redes sociais. De maneira despojada, o ponteiro mostrava os bastidores dos Jogos Olímpicos e atraiu grande simpatia do público. Antes da Olimpíada, o jogador tinha cerca de 250 mil seguidores. Hoje, soma mais de 3 milhões no Instagram.

Vôlei