PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Diretor prevê que sucesso em evento-teste pode gerar ainda mais público em jogos futuros do Botafogo

24/09/2021 16h35


Um retorno com calma para ter a liberação de ainda mais pessoas no futuro. É assim que o Botafogo pensa e coloca em prática o pensamento para a partida contra o Sampaio Corrêa, no domingo, pela Série B do Brasileirão, a primeira com público no Estádio Nilton Santos desde o começo da pandemia.

+ Guilherme Santos rescinde contrato e não é mais jogador do Botafogo

Em entrevista à "BotafogoTV" nesta sexta-feira, o diretor de negócios do Alvinegro, Lênin Franco, explicou que o preço dos ingressos (R$ 160 inteira e R$ 80 meia) foi pensando em não levar prejuízo financeiro e também para contemplar os sócios-torcedores.

- Chegar nesse formato de evento-teste foi um desafio. O estádio está há praticamente dois anos sem funcionar (com torcida). A gente tinha muita conta a fazer. Queremos o torcedor de volta mas não queremos um prejuízo, quando você abre o estádio há um custo alto de operação. Fizemos um exercício para poder chegar em um ponto de equilíbrio entre preço e quantidade de público, e fazer um trabalho de bastidor indo na Secretaria de Saúde para entender os critérios necessários para realizar os eventos. Os sócios terão benefícios, com bons descontos. Os exames precisam ser realizados e a partir daí podemos ter esse evento de maneira segura - afirmou.

Lênin Franco (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

O dirigente prevê que, a partir de um possível sucesso com este evento-teste, a tendência é que mais pessoas sejam liberadas no Estádio Nilton Santos para assistir aos jogos do Botafogo in-loco. Contra o Sampaio Corrêa, 4.999 ingressos serão comercalizados.

- Tem várias regrinhas que precisamos seguir. Não precisa de carteirinha para o jogo, seu ingresso será o seu acesso, obviamente cumprindo os requisitos de exames e vacinação. Aí vamos conseguir fazer um evento seguro e ter o tão esperado retorno do torcedor. Mas de maneira calma, prudente, para que em outros jogos a gente já consiga fazer de maneira mais ampla, atendendo mais torcedor. Não teremos bilheteria física, será tudo online - completou.

Futebol