PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Após pedir para deixar o Brasil de Pelotas, Denilson quer voltar a jogar ainda na temporada 2021

22/09/2021 18h21


O volante Denilson assinou nesta quarta-feira o pedido de demissão do Brasil de Pelotas. O ex-jogador de Arsenal e São Paulo listou que tomou essa decisão por causa dos "atrasos salariais, desorganização no clube, e também a invasão da torcida no CT do clube" que, segundo ele, chegou a "colocar o dedo" nos atletas. Com o fechamento da janela de transferências nesta sexta-feira, ele espera definir o seu futuro até lá.

Atualmente, Denilson está ao lado da família na Paraíba mantendo a forma física. Ele vem trabalhando na academia que tem montada em casa para manter o ritmo em dia.

- Espero que apareça alguma situação logo para voltar a trabalhar e jogar novamente futebol. Minha prioridade é fora do país, mas se algo de bom aparecer aqui no Brasil por qual motivo não aceitar? O mais importante é fazer o que gosto e vida que segue - comentou Denilson.

No Brasil de Pelotas, a passagem de Denilson foi curta. Ele chegou ao clube no fim de maio e se despediu após fazer oito jogos, somando 403 minutos em campo, na Série B do Brasileiro.

- Na realidade queria ter ficado até o final da temporada no Brasil de Pelotas. Mas não foi possível por causa de vários fatores. Avalio minha nota em campo como 9. Fisicamente não estava 100%, estava com algumas dificuldades por não estar com uma sequência grande de jogos. Mas consegui atuar e sai muito satisfeito com as minhas apresentações - disse.

+ Confira e simule a tabela da série B do Campeonato Brasileiro

Por fim, o experiente volante completou explicando o motivo para tomar a decisão de deixar o clube depois de quase quatro meses.

- Atrasos salariais, a desorganização no clube, torcida indo em CT tocar em jogador fizeram eu pedir para deixar o clube. Isso vai te afetando. Eu acredito que é normal a torcida cobrar, mas isso tem que ter uma organização melhor. Eu pessoalmente acabei tomando essa decisão, mas saio de lá muito agradecido. Pessoas abriram as portas para mim. Sou muito grato pelo curto tempo que fiquei, mas foi necessário ter tomado a decisão naquele momento - finalizou.

Futebol