PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cruzeiro e Operário-PR empatam em duelo com muitas polêmicas de arbitragem e do VAR

16/09/2021 21h26


Frustrante. Assim pode ser definido o empate por 1 a 1 entre Cruzeiro e Operário-PR para o torcedor cruzeirense nesta quinta-feira, 16 de setembro, na Arena do Jacaré, pela 24ª rodada da Série B. Claudinho e Paulo Sérgio marcaram os gols do jogo graças à falhas das duas defesas.

A Raposa saiu na frente após Fabiano errar feio na frente de Claudinho. Mas, a equipe azul quis "devolver a gentileza" e em um pênalti bobo, cometido por Eduardo Brock, o Fantasma empatou o duelo em Sete Lagoas.

Foi o 12º empate da Raposa em 24 jogos, que agora tem 30 pontos, ocupando a 12ª posição na tabela. A equipe do Paraná chegou aos 34 pontos, ficando na nona colocação.

Os destaques do jogo não teve nenhum atleta e sim a arbitragem de campo e de vídeo, que influíram diretamente no resultado final da partida com um pênalti marcado e a anulação do gol de Marcelo Moreno, aos 52 minutos do segundo tempo, gerando uma grande e feia confusão no fim do jogo.


Uma "troca de gentilezas" não deixou o placar em branco na Arena do Jacaré

Em duas falhas bizarras, Fabiano e Eduardo Brock foram responsáveis diretos pelos gols marcados por Cruzeiro e Operário-PR no primeiro tempo em Sete Lagoas. O jogador do time paranaense "entregou" o tento marcado por Claudinho, primeiro com a camisa azul, enquanto Brock cometeu um pênalti bobo que foi assinalado com a ajuda do VAR.

Foi o segundo erro direto de Eduardo Brock que resultou em gol do adversário. Contra o Goiás, ele não conseguiu tirar a bola da área, que sobrou para o time goiano marcar o gol de empate, logo após a Raposa abrir o placar.

Futebol