PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Macris, da Seleção Brasileira de vôlei, explica por que não usa tornozeleira mesmo após lesão

04/08/2021 14h04


Recuperada de uma entorse que sofreu na partida contra o Japão, a levantadora Macris foi peça importante dentro de quadra para a Seleção Brasileira vencer o Comitê Olímpico Russo e avançar para a semifinal da Olimpíada de Tóquio. Em entrevista à TV Globo, depois do confronto, a camisa número 8 comemorou o resultado e explicou por que não usa a tornozeleira, mesmo após ter sofrido uma lesão no tornozelo.

> Relembre as 34 medalhas de ouro do Brasil em Jogos Olímpicos

- Só tenho que agradecer ao grupo, à torcida de todo mundo, às boas energias e ao meu fisioterapeuta Fernandinho pelo trabalho incrível que me colocou de volta em tão pouco tempo. Sobre a tornozeleira, é bom bater um papo com ele sobre isso. A tornozeleira é indicada quando é algo realmente necessário, para pessoas com problemas de ligamento, problemas crônicos. Meus tornozelos sempre foram saudáveis - explicou.

Na sequência, a levantadora chamou Fernando Alves, seu fisioterapeuta para explicar por que ela não estava usando tornozeleira. Alves explicou que Macris está jogando com uma proteção debaixo da meia e que precisa protege-la sem limitar os movimentos.

- Ela está jogando com uma proteção debaixo da meia. Por mais que ela tenha sofrido uma torção forte, não está com o tornozelo instável. Eu tenho que proteger, porém sem incomodar, posso limitar os movimentos, e a Macris é uma jogadora que se movimenta muito, salta numa perna só. Alguns casos são indicados, em outros, não - disse Fernando Alves.

Agora, a Seleção Brasileira enfrenta a Coréia do Sul, que passou pela Turquia, na próxima sexta-feira, em horário ainda a ser definido.

Futebol