PUBLICIDADE
Topo

Futebol

'É mais difícil ser atleta mulher, porque todo mundo reza pela sua queda', diz Simone Biles

04/08/2021 16h03


Na Olimpíada de Tóquio, a ginasta Simone Biles jogou luz para o tema da saúde mental. No evento, ela chegou, inclusive, a desistir de participar das finais do individual geral, do salto, do solo e das barras assimétricas. Finalizada sua participação nos Jogos, ela concedeu uma entrevista à NBC, emissora de TV dos Estados Unidos, em que falou sobre as dificuldades que as atletas mulheres enfrentam.

> Relembre as 34 medalhas de ouro do Brasil em Jogos Olímpicos

- É difícil ser atleta, mas é mais difícil ser atleta mulher, porque todo mundo reza pela sua queda e quer que você estrague tudo. O que a gente faz não é fácil, senão todo mundo poderia fazer. Mas no final do dia não somos apenas atletas ou entretenimento, também somos humanos, temos emoções e coisas que estamos trabalhando nos bastidores, mas não contamos. Acho que é algo que as pessoas deveriam ser mais conscientes - desabafou.

> 'Minha saúde importa mais do que qualquer medalha', afirma Biles

Simone também explicou que todos diziam que ela é "o principal elo do time". Ela revela que isso a estressou, uma vez que, de acordo com a ginasta, ela nunca tinha pensado dessa maneira.

- Ser a cara dos Jogos não me afetou muito, foi apenas o que eu queria alcançar e o que queria fazer. Mas todos diziam: "você é o principal elo do time", e isso realmente me estressou, porque nunca pensei nisso dessa forma. Mas toda vez que eles dizem isso, fica parecendo que se eu fizer um treino ruim, impacta nas outras meninas, e isso é difícil - revelou.

Mesmo com algumas desistências, Simone Biles conseguiu faturar duas medalhas na Olimpíada de Tóquio: a de prata e na disputa por equipes feminina; e, também, a de bronze na trave.

Futebol