PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rebeca Andrade esbanja carisma, canta e fala sobre escolha do funk: 'É a cultura do Brasil'

02/08/2021 21h10


Medalhista de prata no individual geral e ouro no salto pelos Jogos Olímpicos de Tóquio, a ginasta Rebeca Andrade não encanta apenas dentro dos ginásios. Em entrevista ao SporTV, a atleta brasileira esbanjou seu carisma, agradeceu pelo apoio, falou sobre todo o processo que resultou na conquista das medalhas e mostrou até o talento como cantora.


+ Tem ouro de Rebeca! Confira todas as medalhas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio


- Obrigado vocês, pela torcida, por todas orações. Fiquei muito feliz com meus resultados e de ter deixado um país inteiro orgulhoso de mim. É muito legal porque eu me espelhei muito nas meninas para chegar até aqui e tenho certeza que representei cada uma delas em cada uma apresentação. E como eu falei, é um orgulho estar aqui vivendo esse sonho, vivendo esse objetivo que coloquei na minha vida - disse Rebeca em participação no programa "Ohayo Tóquio", do SporTV.

- Eu estava muito tranquila porque eu não tinha obrigação de ganhar uma medalha. Se ela viesse, seria uma conquista de muito trabalho, como aconteceu. Não fiquei nem nervosa, porque eu estava muito segura de mim, sabia que eu estava pronta para aquilo - contou.

+ Vem recorde? Veja os fortes candidatos a medalha para o Brasil na segunda metade dos Jogos Olímpicos

Rebeca explicou ainda a escolha da música "Baile de Favela" em suas apresentações, alterando drasticamente o estilo que adotou nas Olimpíadas Rio-2016. Ela destacou a importância do funk, que pode ser um atrativo para quem queira praticar o esporte no futuro.

- Eu estava saindo da Beyoncé, que eu amo de paixão, e vim para o funk, uma coisa que, apesar de eu já gostar, é nova tanto no esporte quanto para algumas pessoas. E essa é a cultura do Brasil, a galera gosta de funk, eu adoro a batida de funk, e eu acho muito divertido, eu faço essa série com gosto, dá para ver na minha cara - explicou ela.

+ Torcem para quem? Saiba o time do coração de diversos atletas brasileiros dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Uma das principais adversárias de Rebeca nas provas da ginástica feminina, a multicampeã Simone Biles abriu mão da disputa de algumas competições para cuidar de sua saúde mental. A brasileira elogiou a atitude da grande estrela estadunidense.

- Eu achei ruim como a Simone (Biles) saiu, porque a gente sabe o quanto o psicológico é importante. Seu corpo pode estar extremamente preparado, mas se sua mente não estiver, coisas ruins podem acontecer. E foi o que houve com ela, eu sempre admirei muito o psicológico dela porque a pressão sobre ela é muito grande. A gente tem que estar na competição para se divertir, para curtir o momento, para ter lembranças boas, não na obrigação de ganhar medalhas. Fiquei muito feliz por ela ter pensado nela em primeiro lugar. Gente, ela já brilha, ela vai continuar brilhando ainda mais - afirmou Rebeca.

No fim, após a repórter Karine Alves cantar e agradecer Rebeca pela representatividade, a ginasta mostrou todo seu repertório e cantou a música "A Fé Faz o Herói", de Jamile, arrancando elogios dos participantes do programa.

Veja abaixo o quadro de medalhas e calendário dos Jogos Olímpicos de Tóquio:

Futebol