PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Seleção olímpica deslancha na etapa final, bate Arábia Saudita e vai às quartas de finais da Olimpíada

28/07/2021 07h07


A Seleção olímpica teve trabalho, mas, após deslanchar no segundo tempo, garantiu a classificação às quartas de final da Olimpíada com uma vitória por 3 a 1 sobre a Arábia Saudita, nesta quarta-feira, no Saitama Stadium. Matheus Cunha abriu o placar no início do jogo e, após Alamiri empatar ainda na etapa inicial, as mudanças de André jardine surtiram efeito e fizeram Richarlison brilhar ao marcar dois gols.

O Brasil, líder do Grupo D, espera os jogos do Grupo C para saber qual será seu adversário. A equipe pega o segundo colocado.

> Veja como fica o caminho do Brasil nos Jogos Olímpicos

SONOLÊNCIA

A Seleção olímpica fez um início digno de desafiar insones. Com Claudinho atado na esquerda e Richarlison e Antony ocupando o mesmo espaço, a equipe de André Jardine era burocrática na troca de passes. Aos poucos, a Arábia Saudita chegou a se assanhar em investidas com Alsharani e viu Abdulhamid encher o pé na direção ao gol, mas mandar a bola para a linha lateral.

O GOL DO DESENCANTO

Aos poucos, a equipe foi aproveitando as brechas deixadas na defesa saudita. Claudinho e Guilherme Arana batalharam, mas suas respectivas finalizações pararam na marcação. No lance seguinte, veio um alívio duplo para o Brasil.

Claudinho alçou escanteio para a área, Matheus Cunha desvencilhou-se da marcação e escorou com força para a rede. Foi o primeiro gol do camisa 9, que esperou oito finalizações (entre elas, uma cobrança de pênalti) para enfim celebrar nos jogos Olímpicos. A vantagem entusiasmou a equipe canarinha. Guilherme Arana avançou pela esquerda e cruzou para Antony cabecear, mas a bola caprichosamente carimbou o travessão. Em seguida, Bruno Guimarães chutou rente à trave.

GOL DO DESENGANO

Os ânimos do Brasil, porém, arrefeceram logo depois. Em falta cruzada para a área, Alamri aproveitou hesitação de Diego Carlos e, de cabeça, empatou para a Arábia Saudita. Enquanto a Seleção olímpica continuava a se atrapalhar na troca de passes, os árabes chegaram a dar trabalho para a zaga canarinha, em especial em cruzamentos de Abdulhamid.

QUE LUTA...

Aos trancos e barrancos, a equipe de André Jardine encontrou um rumo pela esquerda. Guilherme Arana encheu o pé e mandou rente à trave. Em seguida, o lateral aproveitou uma brecha na lateral e serviu Antony. O camisa 11, contudo, teve seu chute abafado pelo goleiro.

NOVOS RUMOS

A entrada de Malcom no lugar de Antony na volta do intervalo pouco a pouco, foi desvencilhando a Seleção do bloqueio saudita. O atacante do Zenit serviu Daniel Alves, que lançou Claudinho, mas o meia cabeceou para defesa do goleiro. Mais participativo, o lateral-direito serviu Matheus Cunha, que parou em Albukari. e Richarlison.

GRITO DE GOL PRESO NA GARGANTA

Aos 20 minutos, o Brasil esteve bem próximo de celebrar o gol de empate. Matheus Henrique recebeu bola e Albukari rebateu. Na sobra, Matheus Cunha, diante do gol aberto, finalizou com o calcanhar, só que a sua tentativa caprichosamente parou na trave. O jogo quase ganhou contornos dramáticos quando Ghareeb cobrou falta de longe e obrigou Santos a saltar para espalmar.

A Seleção olímpica logo retomou as rédeas. Reinier abriu caminho para Richarlison soltar o pé, mas Albukari saltou para defender.

ARTILHEIRO NA ÁREA

De tanto batalhar, a Seleção olímpica encontrou finalmente o seu gol. Daniel Alves alçou falta para a área. No rebote da zaga, Bruno Guimarães escorou, Richarlison subiu entre os zagueiros e cabeceou com força para o fundo da rede.

EMPILHANDO CHANCES

Mesmo com a vantagem, sobraram chances à equipe de André Jardine na reta final. Richarlison tentou duas vezes, mas não conseguiu concluir. Em seguida, Reinier tabelou com Malcom e aproveitou o clarão para encher o pé, mas parou em boa defesa de Albukari.

A Seleção chegou a celebrar quando Malcom desceu pela direita e, após cruzamento, Richarlison concluiu para a rede. Mas o gol foi anulado pela arbitragem devido a impedimento de Malcom no início da jogada.

É PARA A SELEÇÃO 'VOAR'!

A classificação do Brasil foi sacramentada, enfim, nos acréscimos. Malcom tocou para Reinier, que cruzou de primeira. O artilheiro Richarlison não titubeou ao empurrar para as redes. A Seleção vai para as quartas de final da Olimpíada, na expectativa de que apresente um futebol sem oscilações.

Futebol