PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Neymar vê sua função de fio condutor da Seleção Brasileira mais acentuada em goleada com 'testes'

18/06/2021 09h40


Todos os caminhos da Seleção Brasileira passam por Neymar. Na goleada por 4 a 0 sobre o Peru, na última quinta-feira, ficou mais evidente a necessidade do camisa 10 tomar a iniciativa das jogadas enquanto a equipe canarinha ainda se ajustava à série de mudanças promovidas por Tite para o duelo pela Copa América.

- Não sei onde o Neymar pode chegar. A capacidade técnica... Torço muito para que ele tenha saúde, não machuque, tenha essa maturidade - afirmou o técnico Tite, ao falar sobre o craque, que se emocionou ao falar sobre vestir a camisa canarinha.

> Veja a tabela e os próximos jogos da Copa América

O cartão de visitas do astro foi para lá de promissor. Na primeira investida mais clara da Seleção no jogo, Neymar apontou o caminho no qual Alex Sandro e Everton podiam buscar uma jogada promissora. O "Cebolinha" logo alçou para a área e o lateral, após um passe de Gabriel Jesus, abriu o placar.

A queda brusca da equipe canarinha coincidiu também com seu pior momento no Nilton Santos. Muito visado (e, inclusive, parado com faltas de maneira corriqueira) pela marcação do Peru, o astro ficou atado à marcação e não evitou que a transição entre o meio e o ataque ficasse lenta. Mas as novas chances também surgiram em iniciativas suas, tanto em lançamento que culminou em tentativa de Fabinho no rebote quanto em finalização de Alex Sandro.

O técnico Tite reconheceu que ainda há coisas para "encaixar" para dar o seu melhor na Seleção. Uma delas passa pela forma como o astro se desloca em campo.

- Se Neymar vem muito atrás, ele não vai ser efetivo. Tem um conjunto harmonioso que proporciona a ele ser efetivo - declarou.

Em uma segunda etapa na qual o Brasil sinalizava uma reação, Neymar driblou o adversário e, após uma pedalada, caiu em uma dividida com Tapia. O lance de pênalti gerou expectativa, só que foi corretamente anulado graças ao auxílio do VAR.

O camisa 10, porém, não perdeu sua postura incisiva. Em gol no qual aliou ginga com uma finalização indefensável, levou a Seleção a encaminhar sua vitória e abrir caminhos diante de um adversário que se fragilizou. Visivelmente mais participativo, Neymar "sobrou" ao encontrar clarões na zaga peruana.

Além de ver Richarlison livre para servir Everton Ribeiro (articulador que o ajudou a não ficar sobrecarregado em campo), o camisa 10 foi meticuloso no passe para Roberto Firmino. Mesmo com o atacante não estufando a rede, Richarlison assegurou a goleada, que, dos pés de Neymar quase ficou maior. Foram ao menos três chances claras na etapa final na qual ele, assim como toda a Seleção, deslanchou.

A forma como aprumou a Seleção Brasileira mesmo no momento mais desafiador da partida canarinha rende grandes esperanças de Tite.

- A gente está conseguindo dentro da Seleção, e acredito que em parte no clube também, dar uma liberdade criativa a ele, ele tem dado uma contribuição coletiva, principalmente no perde e pressiona para que exploda todo seu talento, dando assistência, como foi no gol de Richarlison, como na jogada de lance individual, que abre para Richarlison, um lance simples - afirmou.

Neymar mostrou que tem poderio de sobra e potencial para ir além em campo. Cabe ao camisa 10 continuar a assumir a responsabilidade de ser o fio condutor canarinho também diante de adversários mais qualificados.

Futebol