PUBLICIDADE
Topo

Eurocopa - 2021

Patrik Schick: Quem é o autor do golaço de 51 metros na Eurocopa?

Patrik Schick, atacante da República Tcheca - REUTERS/Robert Perry
Patrik Schick, atacante da República Tcheca Imagem: REUTERS/Robert Perry

14/06/2021 13h07

Classificação e Jogos

Patrik Schick chocou o mundo do futebol ao marcar um golaço do meio de campo pela República Tcheca contra a Escócia pela Eurocopa. Um tento de 51 metros de distância, com curva na bola e que dificilmente não será o gol mais bonito do torneio recheado de grandes craques. E além do petardo de perna canhota, o camisa 10 já havia balançado as redes de cabeça.

Início na República Tcheca

O centroavante iniciou sua carreira no Sparta Praga, mas foi emprestado cedo pelo Bohemians Praga. Bastou uma temporada para que o jogador conquistasse os olhos de outros mercados da Europa após uma única temporada em que marcou oito gols em 29 partidas.

O clube da capital da República Tcheca sentiu a saída do atacante na temporada seguinte. Em 2015/2016, com Schick, a equipe havia marcado 35 gols no campeonato nacional. No ano seguinte, foram apenas 22 tentos e o feito de pior ataque da competição.

Começo no futebol italiano

A Sampdoria pagou 4 milhões de euros para contratar a jovem promessa e o tcheco deixa saudades. Em sua primeira temporada longe das suas terras, Schick correspondeu as expectativas ao marcar 13 gols e anotas quatro assistências em 35 partidas entre Campeonato Italiano e Copa da Itália.

O sucesso fez com que o canhoto fosse especulado em grandes clubes do país, como a Juventus, que conta com Pavel Nedved como dirigente. O ídolo da Velha Senhora e da República Tcheca elogiou o compatriota na época e o comparou a outro grande centroavante do futebol mundial.

"Patrik teve uma temporada maravilhosa. Schick tem um ótimo futuro à sua frente. Agora ele não tem muito músculo, mas você pode imaginálo em dois ou três anos. Ele me lembra Zlatan Ibrahimovic, porque ele era assim quando veio para a Juve. Schick é esse tipo de atacante, pernas grandes e rápidas", disse o ex-meia ao "Denik".

No entanto, sua ida para a Roma não surtiu o efeito esperado e após duas temporadas foram apenas cinco gols marcados. Seu primeiro ano foi marcado por lesões musculares que o afastou dos gramados por algum período, mas na segunda campanha não foi aproveitado por Eusebio Di Francesco.

Ressurreição na Alemanha

Um dos motivos de seu insucesso na Itália foi a presença de Edin Dzeko na Roma. Embora ambos fossem amigos fora de campo, o modelo da equipe favorecia apenas um nome. No entanto, o veterano aconselhou Schick a rumar para o RB Leipzig e atuar na Bundesliga.

Sob comando de Julian Nagelsmann, Patrik Schick retomou os bons números apesar de concorrer por espaço com Timo Werner e Poulsen. Foram 10 gols em 22 partidas e a temporada lhe rendeu uma transferência na última temporada para o Bayer Leverkusen.

"Trouxemos um centroavante que já demonstrou suas qualidades de goleador de forma impressionante e consistente tanto na Serie A quanto na Bundesliga. A penetração e a força de Patrik na finalização serão boas para o nosso ataque", disse o dirigente Rudi Voller na chegada do atleta.

O camisa 14 do clube alemão tornou-se titular após a saída de Kevin Volland e em 2020/2021 teve seu melhor ano em número de gols: 13 em 36 partidas. Com contrato até 2025, o jogador de 25 anos espera repetir o sucesso de outro compatriota no país.

Comparação com ídolo nacional

Schick tem 1,87 de altura, boa presença de área, poder de finalização e cabeceio. Suas características rendem comparações com Jan Koller, ídolo da República Tcheca e do Borussia Dortmund. O gigante de 2,02 metros atuou cinco temporadas com a camisa do time aurinegro e em sua melhor temporada marcou 22 gols.

Com a camisa da República Tcheca, os números dos centroavantes são semelhantes. Enquanto o centroavante da atual geração tem 13 gols em 27 partidas, o já aposentado tem 55 tentos em 91 partidas, além de ter participado de uma Copa do Mundo.

Schick busca fazer história como começou fazendo na Eurocopa 2021. A equipe dirigida por Jaroslav ?ilhavý se aproxima de uma classificação para as oitavas de final. E com o centroavante como grande destaque, a República Tcheca também sonha em retornar ao Mundial no Qatar em 2022.