PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Roger diz que empate do Fluminense 'tem gosto de vitória' e destaca: 'É um ponto importante'

13/06/2021 23h36


Na noite deste domingo, Red Bull Bragantino e Fluminense empataram por 2 a 2, no estádio Nabi Abi Chedid, em partida válida pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Após o jogo, em entrevista coletiva, o técnico Roger Machado destacou que o empate tem gosto de vitória, exaltou o elenco e admitiu que esperava um confronto "tenso".

> Relembre momentos importantes de Fred com a camisa do Fluminense

- Esse sem dúvida nenhuma tem gosto de vitória pela circunstância. Eu frisei para os atletas depois do jogo que eu não iria falar dos erros que nós cometemos, queria exaltar apenas o poder de reação e de entrega que nós tivemos no jogo que nos proporcionou esse empate com gosto de vitória, é um ponto importante.

A gente sabia que seria um jogo tenso em função da circunstância, de termos eliminando-os da Copa do Brasil. Era um jogo em que precisávamos oxigenar alguns atletas, era um jogo de risco do ponto de vista físico. Mas conseguimos se manter na partida, por causa dos jogadores que entraram bem. Sem dúvida, um empate com gosto de vitória.

> Começou o Brasileirão! Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Durante a partida, o técnico sacou Ganso e Luiz Henrique da partida e promoveu as entradas de Kayky e de Raul Bobadilla. Além disso, no decorrer do confronto, Nenê também entrou em campo. Roger explicou que as mudanças feitas no jogo e destacou que a entrada do centroavante paraguaio empurrou o RB Bragantino para trás.

> Veja a tabela do Brasileirão

- Foi, basicamente, a gente entender a característica que o jogo está pedindo, já tínhamos amostra dos dois outros jogos. Sabia que se nós fizéssemos um gol, nós entraríamos na partida, como entramos. Depois, com as substituições, correndo o risco de deixar o time mais aberto, colocando o Raul (Bobadilla), que tem por característica a busca dessa profundidade, a gente empurrou um pouco o Bragantino para trás e conseguimos oportunidades que culminaram no nosso segundo gol de pênalti. A gente tem que manter a posse dentro do campo do adversário, é onde você está mais perto do gol.

O Fluminense de Roger Machado volta a campo na próxima quinta-feira contra o Santos, no Maracanã, às 19h, em partida válida pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

Veja mais declarações de Roger na coletiva

NINO E SAMUEL


- Eles relataram alguma coisa. Agora, a gente vai ver o que de mais sério pode ter acontecido, mas 12 jogos. Ao longo da experiência, eu sei que do oitavo ao 12º jogo quarta e domingo começam os pequenos problemas se você não tomar o cuidado de alternar, porque são muitos jogos. Vamos torcer para que a parada seja pequena ou que não haja necessidade de parar.

A IDENTIDADE DO FLUMINENSE


- A marca do time já é o time de guerreiros. Isso também é um pouco da minha personalidade, que eu assumia dentro do campo. Fora do campo, eu sempre fui um jogador mais reservado, em alguns momentos até mais tímido. Mas dentro do campo, o meu jogo assumia uma personalidade muito aguerrida, eu gosto de ver meu atleta se entregar até o final.

JOGO CONTRA O SANTOS NA QUINTA-FEIRA

- Nós temos um dia a mais para o jogo. Um dia a mais é um abismo de tempo para recuperação dos atletas, pode caracterizar a diferença de você estar 100% ou 90%. Vamos ver com a fisiologia o que é necessário fazer.

CONFUSÃO NO FIM DA PARTIDA

- Eu não vi a confusão. Depois de dois jogos contra o mesmo e uma eliminação, vai haver uma tensão. É sempre muito difícil jogar aqui. Após o jogo, os ânimos estavam mais exaltados, eu sai na direção do vestiário, justamente, porque percebi que começou um bate boca na beira do campo e eu não queria me envolver até para não causar mais rivalidade. Não somos inimigos, somos adversários. Quando acaba o jogo, acaba tudo que ficou dentro do campo.

Futebol