PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Em entrevista, Florentino Pérez fala sobre a Superliga Europeia: 'Continua a existir'

21/04/2021 20h48


Nesta quarta-feira, Florentino Pérez, presidente do Real Madrid e da Superliga Europeia, foi entrevistado pelo programa El Larguero, da Rádio Cadena SER, e falou sobre a competição. O dirigente espanhol garantiu que o torneio continua, e descartou o seu fim.

Veja a tabela do Espanhol

Com três gols no primeiro tempo, Real Madrid vence o Cádiz e vira líder provisório do Espanhol

SOBRE A RESPOSTA DAS ENTIDADES
- Nunca vi tanta agressividade. Era algo orquestrado, nos surpreendemos. Quando demos a notícia, pedimos para ver o presidente da UEFA e FIFA. Não nos responderam - falou Florentino Pérez.

O dirigente espanhol seguiu falando sobre a resposta da UEFA ao anúncio da Superliga.

- Em 20 anos (no futebol), nunca vi esta agressividade na minha vida. Ameaças, insultos, como se tivéssemos matado o futebol. A UEFA fez um espetáculo, que eu também fiquei surpreso. Foi como se tivéssemos atirado uma bomba atômica - disse.

Pérez também criticou o fato do presidente da UEFA receber um alto salário, algo que ele já havia dito em outras entrevistas.

- O Real Madrid é rico em troféus. Eu não ganho um centavo, o presidente da LaLiga e o presidente da UEFA tem sim um salário - afirmou.

O presidente do Real Madrid e da Superliga Europeia também criticou os ataques de Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, à nova competição.

- Quero um presidente que não insulte. Os formulários são importantes. Essa forma de insultar um presidente de clube. Você tem que dar o exemplo - criticou Pérez.

O ANÚNCIO DA SUPERLIGA
- Estou um pouco triste e desapontado. Há três anos que trabalhamos neste projeto da Super League para lutar contra a situação econômica que vivemos. - Estou desapontado. Trabalhamos neste projeto há três anos - disse Florentino Pérez.

Florentino ainda falou mais sobre a forma como a competição foi anunciada para o público.

- Não mudaria nada na forma como anunciamos a Superliga. Tínhamos preparado cada um para falar. Não aconteceu porque, com uma agressividade terrível, nos mataram - falou o dirigente.

- Acho que não o apresentamos bem, mas eles não nos deram a oportunidade de explicar bem. Mas não nos deram a oportunidade porque não querem - disse.

LIGAS NACIONAIS
- É muito fácil de entender: a Liga é intocável. Onde você tem que arrecadar dinheiro é durante a semana. Esse formato claramente não funciona. Não pode ser da Liga Espanhola, que as equipas da frente percam dinheiro e as outras ganhem dinheiro - falou Florentino.

Pérez seguiu falando sobre como o nível dos Campeonatos Nacionais não é rentável aos gigantes.

- Dizem que somos iguais, muito contentes. Mas há jogos que ninguém vê. Além do mais, é difícil para mim vê-los. Da Espanha, Inglaterra e Itália. A única forma de ter renda é ter algum tipo de competição que gere muita renda, mas não para que os ricos fiquem mais ricos - afirmou Pérez.

Florentino Pérez ainda falou sobre algo que ele afirma categoricamente, que é a falta de interesse do público jovem no futebol atual.

- Os jovens não assistem mais ao futebol. 40% dos jovens de 16 a 24 anos NÃO assistem ao futebol - pontuou.

PERDAS FINANCEIRAS
- Entre as 12 equipes, perdemos 650 milhões na última temporada. Nesta temporada, mais duas ou três vezes. Este formato claramente não funciona - falou o dirigente.

Florentino ainda falou sobre as perdas financeiras do clube sendo agravadas pela pandemia de Covid-19.

- Há pessoas que acreditam que nada aconteceu, ainda há pessoas que não acreditam na Covid-19. Eles acreditam que nada mudou e que a vida mudou. Os jogadores do Real baixaram o seu salário. Em todas as empresas os salários foram reduzidos. Todos nós fizemos um sacrifício e o futebol precisa de um sacrifício. Se pensarmos que nada aconteceu, um dia choraremos - disse.

A LIGA CONTINUA?
- A Superliga continua a existir, mas o projeto está em 'stand by'. A Juventus não saiu e nem o Milan. Falei com o Agnelli três vezes hoje. Seria um pecado se não consolidássemos este formato

- Havia alguém entre as seis equipas inglesas que não tinha muito interesse na Superliga e que começou a contagiar as outras. É uma equipa que nunca se convenceu

FRANCESES E ALEMÃES
- O projeto da Superliga era viável sem os alemães e os franceses, com certeza. Isso não vai dificultar as relações com o PSG. Sou amigo de todos, eles sabem o que fiz pelo futebol. Tenho a credibilidade do povo - disse Florentino.

- Não garanti que antes de julho o Bayern e o PSG também estariam na Super League - falou.

Futebol