PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Renovações de Cano e Andrey, relação com Alex Teixeira e lateral esquerda: Pássaro fala sobre o Vasco

20/04/2021 14h56


Alexandre Pássaro costuma conceder poucas entrevistas. Então, quando ele aparece, é natural ser questionado sobre diferentes temas. Não foi diferente nesta terça-feira, logo após a apresentação de Romulo como novo reforço do Vasco. O diretor executivo de futebol não se esquivou e abordou diferentes temas, como a renovação de Germán Cano, centroavante e destaque da equipe desde o ano passado.

- É lógico que, no momento certo, vamos tratar do assunto. Estive com o empresário dele ainda era início de março. Foi o primeiro jogador com quem conversamos. Poderíamos ter soltado notícia de que ele vai ficar, mas ele tem contrato até o fim do ano, natural que fique. Todos que têm contrato acabando, precisamos esperar direcionamento na Série B - afirmou, antes de emendar:

- Não temos pesadelo com não subir, mas é claro que vamos ter dificuldade. Tem cinco campeões e outros cinco que vão lutar para subir. Este (Cano) e outros casos, não podemos comprometer. Renovar, de repente, sem garantia de receita. Vamos costurar, estamos na mesma página - garantiu.

Confira outros tópicos da entrevista de Alexandre Pássaro:

Vai contratar para a lateral esquerda?
A posição de lateral-esquerdo temos um jogador que chegou que foi o Zeca, mas antes de voltar ao mercado - temos nomes tagueados -, queremos ver o desenvolvimento do Riquelme. É um menino muito novo, mas que tem uma qualidade impressionante com a bola no pé. Antes de ocupar esse espaço, vamos observá-lo. Se entendermos que precisamos contratar não será demérito do Riquelme. Mas, no momento, o jogador que estamos analisando é o Riquelme. Tem o Buiú no sub-20 também (e MT, que atuou na função pelo time profissional, mas está lesionado). Zeca é fominha, não deixa ninguém jogar, estamos bem servidos. Talvez no começo da Série B tomemos uma decisão definitiva.

Há possibilidade de repatriar jogadores como Alex Teixeira, Anderson Martins, Dedé e Diego Souza?
Dava para melhorar bastante o nosso time com essas quatro peças. É natural, sempre que você está num clube, que os nomes falados sejam os da memória afetiva. O torcedor lembra o carinho, tem gratidão aos jogadores. Alan Kardec, eu falava com ele, seria o quinto, mas ele falou: "Eu já fui vaiado em São Januário". O carinho, às vezes, é depois. Todos têm portas abertas para fazerem o que quiserem se casarem com nosso projeto. Temos que ter nossa realidade. Alex está livre, tem desejo de esperar Europa, mas Alex é meu vizinho de porta, dia desses busquei meu cachorro na casa dele. Qualquer interesse é atravessar a rua, literalmente. Mas não podemos criar expectativa de que podemos concorrer com o mercado que ele está esperando. Claro que, se couber, teremos o maior desejo de realizar. Lógico que cada um tem suas particularidades. O Dedé, pelo que sei, está se recuperando de lesão e tem portas mais do que abertas. Anderson Martins eu acabei contratando no São Paulo, passou quase que os três anos lá. Gosto dele como jogador, mas tem outras questões e não é nosso foco buscar zagueiro. Quando tem alinhamento de expectativa, a gente consegue trazer.

-> Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

Andrey renovará (tem contrato até dezembro)?
Sobre o Andrey, li sobre o interesse do Santos, mas ele estava em todas as listas de torcida e de imprensa para dispensa. O Marcelo Cabo foi criterioso. Decidimos apostar, e o Andrey vem fazendo jogos que há tempos não fazia. Temos interesse em renovar, mas não podemos renovar ou jogar no lixo por conta de dez jogos. Precisamos dar condições para a subida de rendimento. E se houver interesse pelo Andrey de qualquer clube, terá de ser nas condições do Vasco.

Qual a situação dos jogadores que não estão sendo aproveitados, mas também não têm futuro definido (casos de Werley, Neto Borges, Henrique, Marcos Junior e Lucas Santos)? Está sendo criado um passivo, não?
Cada jogador tem uma situação. Alguns têm contratos acabando agora já no meio do ano, como o Neto Borges e o Henrique. Já tinha a decisão de não renovar. Às vezes, as pessoas confundem treinar separado com estar encostado. Eles estão num caminho diferente. Tem diretriz técnica. O passivo é criado quando se assina contrato. O que estamos fazendo, dentro das expectativas criadas, é tentar reduzir esse passivo.

Futebol