PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Em coletiva, Roger Machado fala sobre os três volantes: 'Pode ser uma alternativa contra o River'

17/04/2021 19h11


Neste sábado, o Fluminense venceu o Botafogo por 1 a 0, no Maracanã, e garantiu sua classificação às semifinais do Carioca com uma rodada de antecedência. Em coletiva, o técnico Roger Machado falou a estratégia adotada para a partida, comentou sobre as alternativas possíveis contra o River Plate (ARG) e disse sobre os reforços para a Libertadores.

> Veja a classificação do Campeonato Carioca

Logo na primeira pergunta, o treinador do Tricolor já falou do novo meio campo adotado, principalmente contra o Botafogo. Para Roger, a alternativa de ter três volantes contra o Botafogo se deu pelas necessidades da partida, porém, também serviu como uma preparação caso queira utilizar tal esquema na estreia da Libertadores, contra o River Plate (ARG), na próxima quinta.

- A motivação de entrar com um sistema diferente passa pela estratégia do jogo. Nós acreditávamos que, assim, poderíamos levar vantagem dentro do campo e do estilo de jogo do Botafogo.

- Mas, sem dúvidas, também foi uma proposição importante porque ela pode sim ser uma alternativa para o jogo da Libertadores. Foi uma partida (contra o Botafogo) em que tivemos uma constância interessante, fizemos um bom jogo coletivo, mas pecamos em alguns aspectos semelhantes ao jogo anterior, como a definição das jogadas no terço final do campo - completou Roger.

Sobre o jogo contra o River Plate (ARG), o técnico fez questão de falar que já está acompanhando as partidas do adversário do Fluminense na estreia da Libertadores. Para o treinador, o meio de campo do time argentino pode ser um ponto muito forte que precisa ser bem estudado pelo Tricolor.

- Os jogos do River Plate passam toda hora na televisão. O River tem o mesmo treinador a cinco anos, tem um modelo muito clássico de jogar, que é também com médios no meio campo, mas com um meia de articulação entre eles e mais dois atacantes na frente, propõe o jogo com amplitude dos laterais, eles quase não participam das articulações no meio campo, protegendo também o time das transições com dois jogadores fortes de pós perda.

- O segredo e o sucesso do River está na continuidade, na qualidade dos jogadores e em um modelo desenvolvido a muito tempo. Mas hoje o que nós fizemos, foi um jogo forte no meio, para poder combater os jogadores de dentro do campo e acho que funcionou bem. A partir de agora começamos o refinamento do adversário, mas sabendo que é um jogo em casa e também somos protagonistas no grupo - disse o treinador.

Ainda em coletiva, o treinador do Tricolor aproveitou para falar, também, sobre os reforços que o clube contratou para a Libertadores. Em sua resposta, Roger enfatizou o lateral Samuel Xavier e o meia Cazares, estreantes contra o Botafogo.

- A ideia era poder utilizar esses jogadores que vem trabalhando conosco. Eu já os conheço dentro do nosso sistema, que não é um só, nos treinamentos nós também temos a oportunidade de trabalhar com outros esquemas, pontualmente, para determinadas situações de jogo.

- Hoje foi uma oportunidade de ver o Cazares, mas sobre tudo o Samuel, que eu já tinha o conhecimento de jogar contra, porém, quando você trabalha ao lado do jogador você tem um conhecimento das suas características mais detalhadas. O Cazares nós já trabalhamos juntos, então eu sei que posso utiliza-lo por trás do atacante, neste tripé do meio, como ele entrou hoje e também dos lados.

- O Abel e um jogador mais centralizado, mas também já fez lado. Já o Bobadilla joga por dentro e joga pelos lados com força, com velocidade, podendo me dar alternativas, até para jogar com dois atacantes na frente, pelo Raúl (Bobadilla) ter mais mobilidade e velocidade. E a vinda do Manoel nos traz um leque de oportunidades, em função de os adversários hoje estarem abrindo com muita amplitude (os ataques), então eu poder abrir uma linha de cinco com o Manoel e o Luccas (Claro) que tem muita destreza com a bola, é uma alternativa muito boa - detalhou Roger, sobre as contratações do Fluminense.

Para finalizar a coletiva, o técnico comentou sobre o espaço dos crias de Xerém, principalmente após este pacotão de reforços para a Libertadores. Para Roger Machado, o importante é que os jovens saibam se adaptar ao time, mediante as situações das partidas.

- É importante que eles saibam se adaptar (ao time durante os jogos). Nossos jovens são muito importantes, eles já demonstraram isso quando foram utilizados, só que também, nós éramos cobrados porque se entendia que os jovens, talvez, não segurassem uma Libertadores. Então nós fomos ao mercado para contratar jogadores com experiência para, inclusive, ajudar os atletas mais novos.

- Os jovens sabem e tem que entender que o processo é esse, hora se anda alguns passes para frente, hora se retrocede um pouco, para que a gente consiga fazer essa subida dos jogadores jovens de forma definitiva - finalizou Roger.

Classificado às semifinais do Carioca, o Fluminense chegou aos 19 pontos e assume, provisoriamente, a terceira colocação. O Tricolor volta a campo na competição só no dia 25, contra o Madureira. Porém, na próxima quinta-feira, às 19h (de Brasília), o Flu recebe o River Plate no Maracanã, em sua estreia na Libertadores.

Futebol