PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Entenda os valores e o imbróglio envolvendo Flamengo e Arrascaeta

16/04/2021 12h52


Arrascaeta se reapresentou nesta manhã de sexta-feira para tratar de uma entorse no tornozelo direito, que o tirou do clássico contra o Vasco, ontem, perdido por 3 a 1, pelo Campeonato Carioca. Internamente, há um imbróglio causador de ruído entre o estafe do jogador e o Flamengo, que não agrada a outra parte por conta da visão de não cumprimento de acordos preestabelecidos em prol de renovação e valorização contratual do meia.

Arrascaeta tem um contrato válido até 31 de dezembro de 2023, mas a valorização neste início de 2021 era esperada, sobretudo pelo Flamengo não ter adquirido por volta de 20% dos direitos econômicos do uruguaio.

Explica-se: o Fla teria que adquirir 1/4 dos direitos caso Arrascaeta jogasse 4 mil minutos em campo no ano passado, o que não ocorreu, pois ele atuou por 3.833 minutos - restando 167 minutos para a efetivação automática da aquisição de 1,2 milhão de euros (cerca de R$ 8 milhões na cotação atual) para o Defensor-URU, segundo sublinhou o "Uol". Assim, os representantes do atleta buscaram um novo caminho para a recompensa financeira.

Clube que revelou Arrascaeta, o Defensor, aliás, não exigiu a quantia. À frente do interesse, o empresário do camisa 14, Daniel Fonseca, está no Rio de Janeiro à espera de uma posição incisiva do Flamengo. O agente, insatisfeito, avalia que o Rubro-Negro não concebeu uma valorização contratual ao seu cliente à altura do rendimento em campo, o que ocorreu com outras estrelas do elenco.

Apesar de Marcos Braz, vice-presidente de futebol, ter externado que é necessário vender um "titular absoluto" para ter um ano equilibrado financeiramente, o Flamengo não tem em mente negociar Arrascaeta. Contudo, a diretoria estabeleceu que só inicia conversas caso uma oferta de ao menos 20 milhões de euros (aproximadamente R$ 135 milhões) chegue à Gávea, segundo apontou o jornalista Bruno Andrade.

Arrascaeta com dirigentes: Bruno Spindel e Braz estão à frente das conversas com o estafe do uruguaio (Foto: Alexandre Vidal/CRF)

Também da alta cúpula da diretoria, Luiz Eduardo Baptista, conhecido como BAP, comentou sobre a situação envolvendo Arrascaeta em recente entrevista:

- O Arrascaeta tem contrato em vigor. Imagina a situação: o Flamengo contratou o Arrascaeta e paga R$ 1 milhão líquido por mês, e ele quebra a perna, se contunde, não joga bem, é vaiado... Pela lei, o Flamengo pode reduzir o salário dele? Não tem previsão legal nem contratual pra isso. Ele tá jogando muita bola, e é um p... jogador, por isso ele ganha o que ele ganha - falou BAP ao canal Venê Casagrande no YouTube.

- Se ele fosse um Zé Mané, como várias contratações ridículas, ia estourar em um compromisso com o atleta. Estamos vivendo um período de exceção, perdemos R$ 103 milhões ano passado. O Conselho do Futebol não se envolve no dia a dia, ele cuida de assuntos mais estratégicos. Se o Arrascaeta está incomodado, e continuar jogando a bola que está jogando, eu estou muito feliz. É um craque de bola - completou o vice-presidente de relações externas do Fla.

+ Veja a tabela da Libertadores

Enquanto Flamengo e o estafe de Arrascaeta buscam aparar as arestas e findar o mal-entendido, o meia segue o tratamento de uma entorse no tornozelo direito. A expectativa da comissão técnica é contar com ele nesta terça-feira (20), quando o clube estreia na Libertadores, contra o Vélez Sarsfield, fora.

Futebol