PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ESPN transmite Barcelona x Real decisivo e Paulo Calçade relembra bastidores de transmissões passadas

10/04/2021 08h00


Real Madrid e Barcelona se enfrentam no 'El Clássico' mais importante da temporada. Quem vencer pode assumir a ponta da tabela pela primeira vez na La Liga. A transmissão exclusiva da ESPN do jogão que vai ao ar às 16h deste sábado contará com narração de Rogério Vaughan e comentários de Paulo Calçade, Zinho e Carlos Eugênio Simon. No LANCE! você também acompanha tudo em Tempo Real.

+ Real ou Barça: quem briga pela ponta da La liga? Confira a tabela!

Paulo Calçade falou com o LANCE! e disse que nem se recorda de quantos 'El Clásicos' já trabalhou, mas relembrou histórias do passado em bastidores das transmissões durante a carreira como jornalista.

- Não tenho ideia (de quantos El Clásicos), isso é uma coisa que eu acabo falhando, eu não anotei, foram muitos estando no estádio, estando presente foram vários. Eu lembro que 2011 foram quatro, em 2011 aconteceu algo inédito, na verdade duas vezes na história que Real Madrid e Barcelona fizeram quatro partidas em um curto espaço de tempo, eles tinham pra jogar duas pela liga dos campeões, que era Mourinho x Guardiola, com o clima muito quente entre os dois clubes, com os clássicos pegando fogo isso com interferência na seleção, a seleção era formada basicamente por jogadores das duas equipes - relembrou.

- Em 2011 foram 2 Liga dos Campeões, 1 final de Copa do Rey, esse ganhou o Real Madrid de 1 a 0 na prorrogação com gol do Cristiano Ronaldo em Valência e 1 jogo pela LaLiga, isso tudo ocorreu em 17 dias, eu, André Kfouri e Sidney da Mata, o cinegrafista, a gente acompanhou esses jogos e foi divino, foi maravilhoso. Teve jogo que a gente transmitiu, transmitimos todos na ESPN, mas lá eu fiz os da Liga dos Campeões, o da Copa do Rey foi feito no Brasil e eu fiquei atrás do gol no estádio Mestala, foi uma experiência única em um Real Madrid x Barcelona dentro de campo atrás do gol, justamente do lado que o Cristiano Ronaldo marcou 1 a 0 na prorrogação, aquilo é incrível. O outro foi no Santiago Bernabeu pelo espanhol, esse eu assisti num setor muito legal que eu tinha o ingresso, era um setor que custava quase 1200 euros o ingresso de um clássico, com bebida, com comida, a maior mordomia, isso tudo para mostrar a dimensão de um jogo desse. Então esses 4 eu lembro pela situação, então foram muitos presencialmente, sem contar dezenas fazendo à distância, acho que foi a época que eu estava mais presente nesses jogos do que nos do Campeonato Brasileiro - concluiu.

Sobre a partida, o comentarista revelou suas expectativas e analisou a importância do confronto para competição.

- O Real Madrid precisa ganhar do Barcelona para pular na frente e tentar perseguir o Atlético, que dá sinais que pode perder mais pontos em jogos muitos difíceis. O Barcelona, por sua vez, só depende dele, já que tem os clássicos contra o Atlético e Real Madrid, então dependendo do que fizer o Barcelona, podemos garantir que tem controle, só depende dele, se ganhar os jogos será campeão. Isso não está nas mãos do Atlético e nem do Real Madrid - disse Calçade

Sobre a ausência de peças importantes do lado merengue, o jornalista traçou um panorama das possibilidades que Zidane tem para mandar sua equipe à campo.

- O Real Madrid sofreu uma baixa considerável. Já não tinha o Sergio Ramos. Agora o Varane com Covid-19, então perde os dois titulares da zaga. Era possível usar um 3-5-2 como vem usando em algumas partidas, e ai teria Varane, Nacho e Mendy, que é o lateral adaptado dessa função. Mas já contra o Liverpool, preferiu um 4-3-3, então essa questão tática é fundamental - afirmou Calçade.

- A dúvida é em relação ao Real Madrid, quais serão as saídas do Zidane. Dá pra jogar com 3 zagueiros? Sim, ele vai ter que jogar com o Militão, que ele não gosta. Ele vai ter o Nacho que é sempre um reserva para todas posições de defesa. E se ele quiser pode jogar o Mendy, ai teria o Marcelo na ala esquerda que tem ido muito bem. Mas nesse caso, ele precisa tirar o Vinicius que marcou 2 gols na Liga dos Campeões ou o Asensio, que está ótimo. São decisões difíceis, então provavelmente ele vai num 4-3-3, com Asensio, Vinicius e Benzema - completou

Já sobre a disposição tática que Koeman pode investir, o jornalista abordou as fraquezas do Real Madrid, e como o Barcelona pode aproveitar seus homens de frente para furar o bloqueio improvisado de Zidane.

- O Barcelona vem forte, teve um jogo difícil contra o Valladolid, não foi o melhor jogo, mas podemos dizer que é o melhor momento do Barcelona na temporada. O Real Madrid vem com desfalques e terá Griezmann, Dembele e Messi contra Nacho e Militão. Se jogar com 2 zagueiros, isso pode complicar um pouquinho. O Barcelona tem jogado no 3-4-2-1, linha de 3 e 4 no meio de campo, Messi e Griezmann mais próximos no centro e o Dembele mais adiantado. Então, taticamente tem tudo para ser um clássico muito rico - ponderou.

As duas equipes vivem bons momentos na temporada. O Real Madrid, invicto há 12 jogos, está nas quartas de finais da Champions League e venceu o Liverpool pelo jogo de ida do mata-mata. O Barcelona, por sua vez, cresceu de rendimento e é vice-líder da La Liga, mas deu adeus à UCL. Questionado sobre a existência de favoritismo para algum lado, Paulo Calçade vê uma pequena vantagem que possa ser definidora do confronto para o lado dos cúles.

- Não vejo favorito, o Real Madrid ganhou no Camp Nou e agora é no Alfredo de Stefano. Não tem torcida mas é a casa do Real Madrid. O Barcelona tem que ganhar lá, não é o tipo de jogo, pela situação da tabela, que dá pra ir pensando que o empate é um bom resultado para ganhar a liga, que é super importante. Tem a final da Copa do Rei e a La Liga, se ganhar o doblete, pode salvar a temporada. - disse o jornalista

- Não vejo diferença, vejo vantagem. O fato é que o Real Madrid tem um problema de defesa para cuidar, que é a dupla de zaga a frente do Casemiro. Deve ter Casemiro, Kross e Modric. Na frente Asensio, Vinicius e Benzema e aí está pronto o Real Madrid. Atrás vai de Militão e Nacho, jogaram contra o Liverpool, não é a melhor defesa, mas é o que ele tem. Não tem o Carvajal e joga o Vazquez, não tem Varene e vai Militão, não tem o Ramos e vai o Nacho e o Mendy na lateral. Vamos ver qual saída ele vai encontrar para esse confronto - finalizou.

O El Clásico válido pela 30° rodada do Espanhol pode marcar o último da Era Lionel Messi vestindo a camisa 10 do Barcelona. O argentino alcançou marcas importantes ao longo da carreira diante do maior rival. Além de ser o jogador que mais atuou no confronto, o craque é o maior artilheiro de todos os tempos do clássico, tendo marcado um total de 26 gols contra o Real Madrid. Ele é também o maior garçom, com 14 assistências.

No próximo sábado, Messi pode atingir mais um feito histórico. Caso marque três gols, torna-se a figura com mais hat-tricks na história da rivalidade. Paulo Calçade comentou sobre a possibilidade de saída do argentino.

- Pode ser o último clássico, mas pode também não ser. É muito difícil dizer isso agora. Dizer "será que o Messi tem a decisão pronta?". Aconteça o que acontecer, pode prometer o mundo pra ele e ele resolver sair, mas podem convencer ele a ficar - levantou o comentarista

- Ele [Koeman] conseguiu reunir os melhores jogadores, mas isso convence o Messi? O que convence o Messi? Prometer contratação? Prometer o Neymar? O Haaland? O que é convencer o Messi? Então pode ser o último. Eu realmente não consigo garantir que possa ser o último dele. Eu presumo que nem ele saiba, que vai esperar mais, esperar acabar a reta final e decidir na mudança de temporada se deixa o Barcelona ou se termina a carreira dele como futebolista lá. Se sair implica em um desafio, será que ele quer o desafio? Se quiser, precisa sair. O Cristiano saiu do Sporting, foi para o United, pro Real e Juventus - questionou Calçade

- O Messi saiu da Argentina com 13 anos e a vida dele foi o Barcelona. Se ele se sentir satisfeito com esse desafio que é gigantesco, tudo bem. Se ele achar que falta ganhar, vencer, e se provar e provar para os outros que ele pode ser campeão e ter a mesma contundência e importância com outra camisa, aí ele precisa sair - afirmou

Por fim, o jornalista comentou sobre a importância para ambas equipes conquistarem a La Liga em uma temporada de reestruturação. O Barcelona acabou o último ano sem títulos pela primeira vez desde 2008. Já o Real, há dois anos não avança às quartas de finais da Champions League.

- Pensando no clássico do cenário europeu ou vitórias de ligas, a vitória da La Liga é muito importante, o Zidane, assim como o Casemiro, tem mais títulos de Liga dos Campeões do que da Liga Espanhol. - relembrou

- Ganhar a La Liga é muito importante por conta da rivalidade de Real Madrid e Barcelona. Não é mata a mata, não depende de chave, não depende de sorte, de nada. Você mede e é comparado ao seu adversário dentro da mesma plataforma, isso pesa muito na Espanha porque você ganha do seu adversário. Esse é o ponto principal pro Barcelona voltar a ganhar a LaLiga e voltar reformado para uma temporada europeia vigorosa. Já o Real Madrid, ganhou de um Liverpool e está vivíssimo na Liga dos Campeões - concluiu

*Estagiário, sob supervisão de Ricardo Guimarães.

Futebol