PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Alerj recua e recomenda veto à mudança de nome oficial do Maracanã

06/04/2021 13h54

Classificação e Jogos

Após muita polêmica e contestações sobre o projeto de lei que previa a mudança do nome do Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, para Edson Arantes do Nascimento - Rei Pelé, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) recuou e a pauta não vai mais adiante.

Hoje (6) seria o último dia do prazo para que Cláudio Castro, governador em exercício, vetasse ou sancionasse a iniciativa. Porém, André Ceciliano (PT), presidente da casa e um dos autores da ideia, levou a matéria à reunião de líderes partidários e ficou acordado que a Alerj vai encaminhar proposta de vetar o projeto. A informação foi veiculada, inicialmente, pela "Veja" e confirmada pelo UOL Esporte.

"Eu disse aqui que não haveria nenhuma dificuldade em recuar. Entendendo a posição de cada parlamentar, fiz a defesa do projeto. Então, como disse o poeta: 'Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante'. Recebi uma mensagem dizendo que fiquei arrependido de ter apresentado o projeto. Em nenhum momento eu disse isso, pelo contrário, eu fiz a defesa do projeto, mas aqui é uma casa de entendimento e achei por bem conduzir dessa forma", disse Ceciliano em plenário hoje.

A ação para a troca no nome do estádio partiu de Ceciliano e de mais seis deputados: Bebeto (Pode), Marcio Pacheco (PSC), Eurico Junior (PV), Carlos Minc (PSB), Coronel Salema (PSD) e Alexandre Knoploch (PSL).

O projeto foi aprovado no dia 9 do mês passado e, desde então, foi alvo de diversas críticas. Houve, inclusive, um movimento nas redes sociais para lembrar a importância de Mário Filho para a crônica esportiva brasileira e até mesmo para a construção do próprio Maracanã.

"Queria dizer que a questão central hoje é a pandemia. Há um conjunto de opiniões na mídia bastante contrário à mudança da denominação. Então, como esse não é tema central, não é o tema da nossa luta, acho que seria uma grandeza de vossa excelência, com apoio do parlamento, que, nesse momento, a gente abrisse mão desse projeto para outras lutas de maior envergadura para a sociedade fluminense", indicou o deputado Luiz Paulo (PSDB).

Futebol