PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Corinthians sofre com erros individuais e coletivos, e não aproveita evolução tática

29/10/2020 08h00

O Corinthians teve cinco dias de treinamentos entre seu último compromisso e a partida com o América-MG na Neo Química Arena, porém esse período não impediu a derrota por 1 a 0 na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Taticamente a equipe parece ganhar mais corpo e padrão, porém erros técnicos individuais e coletivos impedem que o Timão possa deslanchar.

Se pegarmos o jogo da última quarta-feira e fizermos uma análise dos 90 minutos, não vai haver dúvidas de que o Corinthians foi melhor, apesar de a qualidade do duelo ter sido de baixíssimo nível técnico. E esse desempenho tem a ver com a chegada de Vagner Mancini que, definitivamente, arrumou um time que era uma bagunça e não se sabia de que forma jogava em campo.

Não é preciso ser um "craque" na análise para saber que houve uma evolução com o novo treinador, mas ele não é milagreiro e alguns problemas que acometeram Tiago Nunes e Dyego Coelho, assombram Mancini. Entre eles está a limitação do elenco, a carência em alguns setores e os erros individuais dos jogadores, que ficaram bem evidentes na derrota para o América-MG.

No lance do gol de Marcelo Toscano, por exemplo, Cássio lançou uma bola na saída de jogo para a lateral esquerda no meio-campo, mas Luan nem subiu para disputar a jogada no alto e a posse ficou limpa para Juninho tocar para Neto Berola avançar e cruzar para o centroavante balançar a rede. O camisa 7 do Timão vacilou em sua função e acabou dando o contra-ataque ao Coelho.

Mas não foi só: em determinados momentos da partida chamou a atenção a quantidade de passes errados, que nem eram difíceis ou "na fogueira". Daria até para colocar isso na conta do nervosismo, no entanto não se trata apenas disso e na situação do jogo em que aconteceram ainda não havia o desespero pelo resultado. O América-MG só estava à espera de um erro para marcar.

Outra questão em que o Corinthians pecou foi na execução das jogadas de ataque diante da proposta de jogo de Vagner Mancini, que é de criar pelas laterais e cruzar para a área, principalmente no segundo tempo, quando Boselli entrou na referência. No primeiro tempo, no lance mais bonito da partida, Éderson quase marcou de cabeça, após Xavier, Cazares e Mateus Vital criarem a oportunidade em jogada que teve início no campo de defesa corintiano.

Everaldo e Léo Natel, por exemplo, cansaram de cometer erros em cruzamentos. Juntos, eles cruzaram nove vezes e só acertaram duas (uma cada um), segundo dados do SofaScore. Sem contar as perdas de bola, Natel teve 13 em apenas 27 minutos em campo, já o camisa 37 desperdiçou 12 posses em 90 minutos. Sendo eles as principais armas para execução dessas jogadas pelas pontas, a quantidade de erros impede que o esquema prospere.

Mas vale deixar claro que a culpa não é dos jogadores, mas sim da carência na posição, que não é de agora, mas sim desde o começo da temporada, quando Tiago Nunes já pedia uma peça de alto nível para executar a função. Estamos quase em novembro, e o problema persiste. Ainda há problemas para executar um tipo de jogo justamente pela limitação do elenco em determinados setores.

O confronto com o América-MG por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil ainda não está definido, mas ficou claro que os mineiros estão em um momento melhor e mais organizado do que os alvinegros. Até lá, Mancini terá uma semana e um jogo do Brasileirão no meio do caminho para tornar sua equipe mais decisiva no ataque e com menos erros cometidos em campo.

Futebol