PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Diniz reconhece desempenho fraco do São Paulo: 'Não conseguimos jogar'

18/10/2020 00h18

A atuação do São Paulo contra o Grêmio, neste sábado, não foi das melhores. Pelo menos é o que afirmou o técnico Fernando Diniz, o responsável pelo futebol do Tricolor. Após o empate sem gols com a equipe de Porto Alegre, o comandante da equipe do Morumbi reconheceu a noite de pouca inspiração de seu time no Morumbi.

- Fizemos uns 20 ou 25 primeiros minutos bons. Depois, andamos para trás e o Grêmio cresceu no jogo. No segundo tempo, não conseguimos jogar. Tivemos muitos erros de passe, o Grêmio fez uma marcação alta e não conseguimos sair. Em contrapartida, soubemos marcar bem - principalmente no segundo tempo. O jogo ficou travado, ficou ruim de se assistir - analisou o treinador ao ser questionado sobre sua visão sobre a partida.

Outro ponto muito debatido na entrevista coletiva do técnico Fernando Diniz foi a presença de Daniel Alves durante os 90 minutos. Escalado na lateral-direita por conta das lesões de Igor Vinícius e Juanfran, o camisa 10 do São Paulo também não estava em noite inspirada e - mesmo atuando no meio de campo no segundo tempo - não convenceu a torcida.

Diniz fez questão de sair em defesa do experiente jogador, de 37 anos, e explicou sua decisão de manter o atleta em campo.

- Nosso time já teve cenários em que jogava muito pela direita, hoje joga muito pela esquerda. O Daniel acabou ficando isolado e pegou pouco na bola. Fez uma partida ok na marcação. Acho que ele fez uma partida correta, não tem o que falar. O time inteiro errou passe, o time foi mal. Ele tem uma importância muito grande quando está em campo. É difícil fazer uma análise individual em uma noite em que o time todo estava mal - afirmou o treinador.

- Ele é uma referência mundial ainda, na minha opinião. Quando ele joga bem, a gente vai bem. Eu não tiro porque acho que ele produz muito para o time. No momento que eu achar que tinha que tirar, eu tiro. Não é que ele não sai dos jogos, ele não sai dos treinos. Eu nunca vi ele sair de um treino. Todo jogo ele corre e entrega muito para o time. Quer jogar e quer treinar. É um exemplo de profissional, uma referência técnica do time e uma referência de personalidade. O Daniel Alves tem minha total confiança - concluiu Diniz, ainda expondo seu ponto de vista sobre o camisa 10 do São Paulo.

Com o empate sem gols, o Tricolor se manteve no G4 do Campeonato Brasileiro com 27 pontos ganhos. Na próxima terça, às 21h30, o São Paulo volta a campo para se despedir da Copa Libertadores. Em casa, a equipe recebe o Binacional, do Peru, no encontro que reúne os dois eliminados de forma precoce no Grupo D da competição continental.

Futebol