PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Entre as piores defesas do Brasileiro, Corinthians leva gol quase todo jogo

26/09/2020 07h00

Até aqui, a campanha do Corinthians no Campeonato Brasileiro não tem sido boa e um dos motivos para isso é a quantidade de vezes que o time já foi vazado na competição. Não é à toa que está entre as piores defesas desta edição e só não viu sua rede ser balançada em uma partida, na terceira rodada. De lá para cá a equipe levou gol em todos os jogos e vê sua solidez falhar.

Em 11 duelos pelo campeonato nacional, o Timão foi vazado em dez deles, inclusive no último, diante do Sport, na Ilha do Retiro, onde foi derrotado por 1 a 0 pela 12ª rodada. Dessa forma, ver sua rede balançada virou rotina, já que a última vez que isso aconteceu já faz mais de um mês e dez dias. Nesse período foram completadas nove rodadas consecutivas levando pelo menos um tento.

O último jogo em que o Alvinegro não foi vazado aconteceu em 15 de agosto, contra o Grêmio, em Porto Alegre, quando as equipes empataram em 0 a 0, mas isso só aconteceu pelo fato de Cássio estar em uma noite inspirada e Diego Souza ter chutado um pênalti para fora. Não fossem esses fatores, o Corinthians teria levado gol em todos as partidas que disputou no campeonato.

Essa frequência nos tentos tomados faz com que o clube carregue um incômodo status na competição: estar entre as piores defesa na tabela de classificação. Ao todo, foram 17 gols sofridos, apenas um a mais do que Bahia e Red Bull Bragantino, que ocupam o topo da lista dos mais vazados. A média é superior a 1,5 gol e meio por partida, o que mostra o problema no setor.

O Corinthians também aparece como destaque em outro quesito negativo do Brasileirão: aquele que engloba os times que têm mais mais jogos com gols sofridos. Até aqui são dez, um a menos do que o Red Bull Bragantino (que foi vazado em todas as partidas que disputou), e em igualdade com Sport e Fluminense. O Internacional é o líder nesse critério com apenas cinco jogos.

Cássio, ídolo da Fiel, foi o único jogador do elenco a disputar todas as partidas do Timão nesta edição do Brasileirão. O goleiro foi titular nos 11 jogos e sofreu todos os 17 gols. Embora tenha sido contestado em alguns deles, o camisa 12 foi o menos culpado nessa grande quantidade. Aliás, se não fosse ele, poderia ter sido pior. Segundo o site de estatísticas SofaScore, o corintiano tem média de 3,7 defesas por jogo, a terceira maior na competição até aqui.

Esse desempenho defensivo ruim é uma exclusividade do Brasileirão nesse período pós-paralisação, já que nas seis partidas disputadas no Paulistão, o time sofreu apenas um gol, justamente no empate em 1 a 1 com o Palmeiras, no segundo jogo da decisão do estadual. Depois da pausa, o Corinthians ficou cinco jogos consecutivos sem ser vazado, o que impulsionou a equipe naquele momento de invencibilidade, com quatro vitórias seguidas e dois empates.

Ainda que o ataque do Timão seja um problema recorrente desde o começo da temporada, fica claro que a solidez defensiva seria a melhor arma que, neste momento, a equipe poderia ter para conseguir deslanchar no campeonato. Basta olhar para os números dos jogos imediatamente após a paralisação. Sem sofrer gols, o time conquistou vitórias e se recuperou de situação delicada.

Futebol