PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Romário foi melhor jogador brasileiro dos últimos 30 anos, diz Juca Kfouri

Romário dribla goleiro do Uruguai em jogo no Maracanã pelas Eliminatórias para a Copa de 1994 - Pisco Del Gaiso/Folhapress
Romário dribla goleiro do Uruguai em jogo no Maracanã pelas Eliminatórias para a Copa de 1994 Imagem: Pisco Del Gaiso/Folhapress

18/09/2020 07h30

Produzir craques sempre foi algo recorrente na história do futebol brasileiro. Em live do jornal "Lance!", o comentarista Juca Kfouri falou sobre os talentos que surgiram e vestiram a camisa da seleção brasileira nos últimos 30 anos. O jornalista elegeu o melhor jogador das últimas décadas e analisou suas carreiras.

Durante a conversa, os participantes elegeram o mesmo nome como o grande craque brasileiro no período. Na visão de Juca, o baixinho foi um gênio dentro da área e ele teria dificuldades em eleger quem foi melhor nessa função ao compará-lo com Coutinho, companheiro exaltado por Pelé, no Santos.

"O Romário para mim, eu tenho dificuldade para deixá-lo abaixo de quem quer que seja. O Pelé dizia que um apenas um jogador foi melhor que ele dentro da área: o Coutinho, companheiro dele. E eu tenho muitas dúvidas sobre quem foi melhor dentro da área entre os dois: Coutinho ou Romário", disse Juca.

"Ao fazer a minha seleção de jogadores brasileiros dos últimos trinta anos, eu me dei conta de que eu arrumei os gênios de tal maneira que eu mudei todos eles de posição, menos um, o baixinho. Eu fico com o Romário também", acrescentou.

No entanto, Juca também analisou o auge de outros atletas brasileiros nesses últimos trinta anos: Kaká, Ronaldo Ronaldinho e Rivaldo. Segundo o jornalista, Ronaldinho Gaúcho foi o jogador que chegou mais pronto de se aproximar de Pelé e Garrincha, porém, optou pela carreira de popstar e não deu sequência dentro de campo.

"O Ronaldinho Gaúcho teve um momento que eu tive escrever que ele era o jogador mais pronto para chegar perto do Pelé e do Garrincha. Na semana que eu tive vontade de escrever isso, o Tostão escreveu, porque era mágico. Mas um mágico que fez a opção da vida de um popstar e não a vida de jogador", relembrou.

"O Ronaldo também teve com aquelas arrancadas, a superação de que ele foi capaz de passar por cima de lesões e voltar em um grande nível e ser o gênio que ele foi", destacou.

"Olho para o Rivaldo, é um a grande injustiça ele não ter sido eleito o melhor jogador da Copa de 2002, ele foi disparado o melhor e o Felipão diz isso. O Rivaldo padece de ser marqueteiro, por ser um cara introspectivo, mas foi um baita jogador de futebol", frisou.

"Nessa lista que tem os 'Rs' (Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho), Kaká e Neymar, que a gente coloca no patamar de extra-classes, eu te diria que o menos gênio foi o Kaká. Ele foi um cara que brilhou, porque tinha competência técnica e um denodo atlético para ser melhor do mundo em uma temporada, mas não era genial", afirmou.

O jornalista também destacou as carreiras de Lionel Messi e de Marta no futebol feminino. Para Juca, a craque brasileira tem o amplo controle de todos os fundamentos da modalidade e é um fenômeno do esporte. Já sobre o craque o argentino, o jornalista afirmou que Messi já superou Maradona ao longo de sua carreira.

"Eu estou perplexo que vocês tenham esquecido da pessoa que melhor jogou futebol no Brasil durante todos esses anos, que melhor tem o controle de todos os fundamentos do jogo que é a Marta. Não vamos confundir as coisas, mas a Marte é um fenômeno. Houve um momento de brilho dela, que o controle que ela tinha sobre o controle do jogo era de você ficar abismado. Ela é a rainha do futebol", exaltou.

"Eu não tenho dúvidas de que se o Messi fosse brasileiro, eu o teria escolhido. Ele está acima de todos esses. Eu acho que o Messi é o jogador que ficou no patamar abaixo do Pelé, passando o Maradona na minha modesta opinião - na visão de Juca Kfouri", finalizou.

Futebol