PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras segura joias em meio a três iminentes saídas do elenco

Alan, do Palmeiras, durante treinamento na Academia. Ele deverá ter espaço na retomada no futebol - Cesar Greco
Alan, do Palmeiras, durante treinamento na Academia. Ele deverá ter espaço na retomada no futebol Imagem: Cesar Greco

14/07/2020 08h00

Classificação e Jogos

O Palmeiras vive um momento de possíveis saídas do elenco. Falta apenas o atacante Dudu assinar contrato para concluir sua negociação com o Al Duhail, do Qatar, o lateral-esquerdo Victor Luis tem negociação avançada para ser emprestado ao Botafogo e existe a expectativa de uma oferta de até 6,5 milhões de euros dos Emirados Árabes Unidos pelo meia Gustavo Scarpa. Enquanto isso, a diretoria recusa procuras por jogadores promovidos da base.

O meia Alan, por exemplo, só atuou na Florida Cup, na pré-temporada, sequer tem partidas oficiais no time principal e foi procurado pelo Guarani, entre outras equipes. Mas não houve negócio. O mesmo ocorreu com o lateral-esquerdo Lucas Esteves, que não jogou neste ano nem mesmo no torneio amistoso nos Estados Unidos. Tudo faz parte da nova filosofia de passar a dar espaço maior a quem é formado no clube, e há convicção de que todos atuarão mais agora.

"O Alan e o Esteves estão em posições que têm muitos atletas de qualidade e bem congestionadas no elenco. Mas não é por isso que não se acredita ou se duvida da capacidade deles. Até porque têm equipes de fora e dentro do país, de Séries A e B, que querem os dois. Mas o Palmeiras sabe que, a qualquer momento, eles podem ter chance", explica João Paulo Sampaio, coordenador das categorias de base do clube, ao LANCE!

Além de manter todos, o Palmeiras renovou os contratos de seus jovens ao longo desse período de paralisação por conta da pandemia. Esteves, os volantes Gabriel Menino e Patrick de Paula e o atacante Wesley assinaram até o dezembro de 2024, enquanto Alan ampliou o final de seu compromisso para 2023. No ano passado, logo após ser eleito o melhor jogador do Mundial sub-17, o atacante Gabriel Veron acertou extensão de vínculo até 2024.

A expectativa é de que todos tenham mais chance agora, já que o intervalo entre as partidas será curto e estão permitidas cinco substituições. Dos promovidos para este ano, quem mais jogou é Gabriel Menino (555 minutos em sete jogos, seis como titular), seguido por Gabriel Veron (394 minutos em sete jogos, três como titular), Patrick de Paula (327 minutos em seis jogos, dois como titular) e Wesley (85 minutos em dois jogos, um como titular).

"Por causa da pandemia, serão muitos jogos encavalados. Eles terão oportunidades. E isso faz parte. O Gabriel Jesus demorou seis meses para começar a jogar com mais frequência. É normal", indica João Paulo Sampaio, lembrando da promoção do hoje jogador da Seleção Brasileira, em 2015, e enaltecendo a capacidade do técnico Vanderlei Luxemburgo com os jovens.

"Falar do Vanderlei é chover no molhado. Um dos maiores vencedores do país, com Real Madrid e seleção brasileira no currículo. Sabe muito bem mexer com isso. Agora que o Palmeiras virou a chavinha para promover os jovens, foi a pessoa certa no momento certo," elogia o coordenador da base do Verdão.

Além dos seis que promoveu para este ano, o Palmeiras retomou os treinos na Academia de Futebol com outros sete jogadores do time sub-20, que servirão como apoio em treinos e jogos. Os novatos são o goleiro Mateus Oliveira, o zagueiro Henri, o lateral-esquerdo Ramiro, os meio-campistas Erick Pluas e Jean Quiñonez e os atacantes Valdenilson e Gabriel Silva (que, na semana passada, renovou seu contrato com o clube até 30 de junho de 2025).

Palmeiras