PUBLICIDADE
Topo

'Atletiba do YouTube' rende nova derrota judicial ao Coritiba

Athletico, que venceu o Paranaense daquele ano, transmitiu a final via YouTube - Cleber Yamaguchi/AGIF
Athletico, que venceu o Paranaense daquele ano, transmitiu a final via YouTube Imagem: Cleber Yamaguchi/AGIF

14/07/2020 09h05

O segundo jogo da final do Campeonato Paranaense de 2018 entre Athletico-PR e Coritiba onde o Furacão decidiu transmitir a partida em seu canal oficial do YouTube ainda gera repercussão jurídica onde, pela segunda instância, o Coxa foi derrotado.

O clube Alviverde moveu processo contra seu arquirrival alegando que houve prejuízo aos seus torcedores mediante a informação inicial de que não haveria transmissão do confronto.

Algo que aconteceu até os 44 minutos do primeiro tempo (momento em que a Rede Globo, proprietária dos direitos da competição, solicitou a derrubada da transmissão do YouTube) e também dos minutos finais na página do Athletico no Facebook.

Contudo, a 9ª Câmara Cível do Tribunal da Justiça do Paraná (TJ-PR), responsável pela decisão em segunda instância, manteve a decisão unânime dada em primeira instância de que não ficou comprovado o prejuízo apontado pelo Coritiba.

Com isso, a equipe do Alto da Glória tem a sua disposição como último instrumento legal recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ao todo, caso seja novamente derrotado, o clube terá de arcar com o prejuízo (já levando em consideração as custas do processo) um valor equivalente a R$ 90 mil.

Futebol