PUBLICIDADE
Topo

Luxa apela para Doria garantir 30 dias de treino antes da volta de jogos

Vanderlei Luxemburgo, técnico do Palmeiras, na partida contra o Guarani - Bruno Ulivieri/AGIF
Vanderlei Luxemburgo, técnico do Palmeiras, na partida contra o Guarani Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

03/07/2020 18h52

Vanderlei Luxemburgo voltou a comandar um treino técnico depois de quase quatro meses, nesta sexta-feira. E deu declarações à TV Palmeiras com um apelo direcionado ao governador de São Paulo, João Doria. O técnico quer ajuda para que se garantam 30 dias de trabalho com bola antes da volta dos jogos, já que as autoridades sanitária só liberaram o exercício a partir da última quarta-feira, enquanto rivais do Campeonato Brasileiro, como os cariocas, retomaram as partidas, o que pode significar uma vantagem técnica.

"O importante é que tenhamos a consciência de quem governa, de quem manda, na realidade. Não se pode ficar 120 dias parado e voltar com duas semanas, duas semanas e meia. É humanamente impossível e muito perigoso, para lesões importantes", declarou Luxemburgo, preocupado com o provável início do Brasileiro, em 9 de agosto, o que poderia diminuir ainda mais o intervalo entre as seis rodadas que restam no Campeonato Paulista.

"Peço encarecidamente ao governador, à Federação Paulista de Futebol, à Secretaria de Esportes e aos órgãos que mandam que deem uma olhada e vejam. Os atletas serão expostos a lesões que podem levar 60 dias de recuperação, e olha quantos jogos ficariam fora. Peço que deem uma olhada com carinho, para que se faça alguma coisa neste sentido", apelou o técnico.

Por enquanto, não há nenhuma definição a respeito da volta das partidas de clubes paulistas. O Palmeiras não atua desde 14 de março, quando ficou no 0 a 0 diante da Inter de Limeira, fora de casa, pela primeira fase do Paulista. No momento, também não há expectativa para a retomada da Libertadores.

"Temos muita experiência no futebol e sabemos que necessitamos de, no mínimo, 30 dias, até o fim de julho, para nos prepararmos adequadamente, e ainda com desvantagem para os outros estados. Já temos prejuízo para jogar um campeonato nacional. Precisamos tirar um pouco dessa desvantagem", prosseguiu, citando frequentemente que o estado tem cinco clubes na Série A (Palmeiras, Corinthians, Red Bull Bragantino, Santos e São Paulo).

"O Estado de São Paulo foi prejudicado. O governador determinou isolamento total, sem fazer nada. O presidente Maurício Galiotte determinou que seguiríamos as ordens sanitárias e ficamos parados. Clubes de outros estados já estão treinando há 45 dias ou mais, alguns já estão jogando, e começamos só nesta semana a tocar em bola. Olha quanto estamos atrasados", ressaltou.

"Existe a possibilidade de o Campeonato Brasileiro começar em 9 de agosto, e, automaticamente, o Paulista seria achatado. Se é um campeonato nacional, envolvendo todos os estados, por que os paulistas têm que treinar menos dias do que os outros? Precisamos de 30 dias para preparar o jogador muscularmente, com a base muito bem feita, para suportar uma temporada que será muito difícil, doída, com jogos acumulados, sem folga no meio da semana. Não podemos ser prejudicados", reforçou.

Palmeiras