PUBLICIDADE
Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Cássio faz 33 anos e Corinthians presta homenagem ao ídolo nas redes

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Imagem: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

06/06/2020 13h11

Cássio, um dos maiores ídolos da história do Corinthians, completa 33 anos neste sábado e não poderia faltar homenagem do clube, que usou suas redes sociais para comemorar o aniversário do jogador que mais títulos conquistou com a camisa alvinegra. Desde 2011 no Timão, o goleiro está em sua nona temporada representando a Fiel torcida e esse relacionamento parece longe de terminar.

Após ser negociado com o PSV-HOL e passar para o Sparta Rotterdam-HOL, por empréstimo,- chegou ao Corinthians em 2012. Ele, no entanto, começou a temporada na reserva de Júlio Cesar, goleiro titular na campanha do Pentacampeonato brasileiro conquistado no ano anterior. Mas ao ascender ao time titular, praticamente não saiu mais da meta corintiana.

Ao chegar no Timão, o gigante ganhou sua primeira chance de sequência no time titular exatamente nas oitavas de final da Libertadores de 2012, contra o Emelec, em 2 de maio. Mas sua estreia com a camisa alvinegra foi no Paulistão, na partida contra o XV de Piracicaba, em que fez uma defesa incrível em cima da linha e ajudou a equipe a segurar a vitória por 1 a 0, no Pacaembu.

Após essa partida, Cássio voltou ao banco de reservas e atuaria pela segunda vez com o manto alvinegro contra o Emelec, no primeiro jogo da fase de mata-mata da competição, no Equador. Cássio provou seu valor e ajudou o time a manter um empate por 0 a 0. A partir dali, não deixou mais o time titular.

Seguro, o goleiro foi decisivo na sequência daquela campanha, que culminaria com o título inédito - e invicto - do Corinthians. Na segunda partida contra o Vasco, nas quartas de final, o arqueiro fez importante defesa no segundo tempo, após chute de Diego Souza, ajudando a levar o Timão às semifinais. É, na opinião do ídolo, a mais importante defesa da sua carreira no Timão.

Contra Santos e depois contra o Boca Juniors, na decisão, Cássio manteve a regularidade e ajudou a equipe a conquistar a América de forma invicta, certamente como um dos destaques. Curiosamente, a partida de volta da final contra o Boca Juniors era apenas o 41º jogo profissional da sua carreira.

O gigante corintiano seguiu como titular do Corinthians depois de triunfar na Libertadores. Assim, chegou em alto nível ao mês de dezembro, quando o Timão disputaria o Mundial de Clubes da Fifa. Se teve uma partida segura na semifinal diante do Al Ahly-EGI, vencida por 1 a 0, mais uma vez desempenhou um papel decisivo na conquista do Bicampeonato mundial do Timão, no Japão.

Na final, tendo o campeão europeu Chelsea pela frente, tornou-se definitivamente o gigante ídolo da Fiel. Ele fechou o gol com ao menos quatro defesas difíceis, inclusive aquela famosa em chute de Moses e garantiu mais uma vitória por 1 a 0, sendo foi escolhido o melhor jogador daquela partida.

Importante em todas as conquistas recentes do Timão, Cássio também foi especialmente decisivo na reta final do Paulistão de 2018, defendendo dois pênaltis contra o São Paulo (semifinal) e dois contra o Palmeiras (final), na decisão daquele ano que havia sido disputada fora de casa, no Allianz Parque.

Em sua nona temporada com a camisa alvinegra, Cássio já atuou em 463 partidas até aqui, tendo conquistado nove títulos e se tornando o recordista, superando Marcelinho Carioca (oito). Sempre como titular, levantou as taças da Libertadores 2012, Mundial de Clubes 2012, Paulistão em 2013, 2017, 2018 e 2019, Recopa Sul-Americana em 2013 e Brasileiro em 2015 e 2017.

Corinthians