PUBLICIDADE
Topo

Montenegro explica saída de Bochecha do Botafogo: 'Era só custo'

03/06/2020 15h59

Gustavo Bochecha está de saída do Botafogo. O clube de General Severiano aceitou a proposta do Juventude e o meio-campista jogará no Rio Grande do Sul de forma definitiva pelos próximos anos. O Glorioso manteve 50% dos direitos do atleta de 24 anos, mas não ganhou nenhuma quantia financeira com a transferência.

Carlos Augusto Montenegro, membro do Comitê Executivo de Futebol, explicou a razão do Botafogo ter aceitado liberar Gustavo sem custos. Para o dirigente, o clube pode não ter ganho nada a curto prazo, mas economizará no longo prazo, já que o jogador não estava nos planos do treinador Paulo Autuori.

- Não é só o que você cobra de alguém pelo jogador, tem também o que deixa de pagar. O custo do Bochecha, por ano, é R$ 1 milhão. Ele não estava jogando. O jogador tem até uma qualidade com a bola nos pés. O fato é que quando investimos no Bochecha, garoto, imaginamos que ele seria um patrimônio, mas hoje ele era só custo. O Juventude teve interesse nele, vendemos parte para o clube. Se o Bochecha amanhã for vendido para alguém, ótimo. Vamos ter 50%. Se ele não jogar bem, nós economizamos um milhão. Quanto custou o Bochecha? Quanto gastamos no jogador em 2019? Um milhão de reais. Foi para o Juventude, que vai pagar um milhão de reais. O Botafogo ganhou um milhão porque não vai ter que pagar isso - analisou, em entrevista ao "Esporte Interativo".

Vale ressaltar que o Alvinegro também manteve metade dos direitos de Bochecha - e isto, consequentemente, será refletido caso o jogador seja vendido para qualquer equipe no futuro.

- Por empréstimo, depois de um ano, o Juventude poderia devolver para o Botafogo. Na nossa negociação, não. Ou ele vai bem ou é um custo do Juventude - finalizou o dirigente.

Futebol