PUBLICIDADE
Topo

Do Rio a Brasília, o histórico de aproximações do Flamengo com Bolsonaro

Presidentes de Vasco (Alexandre Campello) e Flamengo (Rodolfo Landim) com o presidente Jair Bolsonaro e um de seus filhos, o senador Flávio Bolsonaro - Reprodução/Instagram Flávio Bolsonaro
Presidentes de Vasco (Alexandre Campello) e Flamengo (Rodolfo Landim) com o presidente Jair Bolsonaro e um de seus filhos, o senador Flávio Bolsonaro Imagem: Reprodução/Instagram Flávio Bolsonaro

20/05/2020 07h00

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o Flamengo voltou aos treinos sem autorização as autoridades estaduais. Ontem (19), Rodolfo Landim, presidente do clube, e Alexandre Campello, mandatário do Vasco, estiveram reunidos com Jair Bolsonaro, que tenta viabilizar o retorno do futebol no país o mais rapidamente possível. Essa não foi a primeira vez que o chefe de estado aparece publicamente ligado ao rubro-negro.

No dia 17 de fevereiro deste ano, no Palácio da Alvorada, Bolsonaro recebeu a diretoria do Flamengo e o técnico Jorge Jesus para debater a respeito de possíveis mudanças legislativas para o futebol brasileiro, especialmente no que diz respeito a clubes empresas.

Landim, Luiz Eduardo Baptista (vice-presidente de relações externas), Aleksander Santos (diretor de relações governamentais), Rodrigo Dunshee de Abranches (vice-presidente geral e jurídico) e Marcos Braz (vice-presidente de futebol) compareceram à residência oficial do governo em fevereiro, horas depois de o Flamengo conquistar a Supercopa do Brasil ao vencer o Athletico Paranaense no Estádio Mané Garrincha. Bolsonaro foi ao jogo, mas sem declarar torcida para um dos lados.

A outra vez que Bolsonaro foi ao Mané Garrincha assistir ao Flamengo ocorreu em junho do ano passado, no último jogo da equipe antes da parada para a Copa América, quando o time, então comandado por Marcelo Salles, venceu o CSA. Ele, naquela ocasião, ganhou dois uniformes autografados das mãos de dirigentes do clube.

Bolsonaro no Maracanã

Bolsonaro também esteve no Maracanã, onde se comportou como torcedor do Flamengo. A ocasião foi especial para o clube, pois tratava-se da despedida do time de Jesus no estádio na temporada passada, já com os títulos do Campeonato Brasileiro e da Libertadores conquistados. O adversário era o Avaí.

Cerca de 360 seguranças foram destacados para fazer a segurança de Bolsonaro naquele dia, 5 de dezembro de 2019. Junto ao ministro da economia, Paulo Guedes, e ao deputado federal Hélio Lopes, o presidente ouviu vaias e aplausos de um dos camarotes, onde cumprimentou Landim e outros dirigentes.

Torcida de Bolsonaro nas Finais

Pouco antes de ir ao Maracanã, Bolsonaro não só voltou a estreitar laços com o Flamengo como mostrou intenção de propagar o clube. Durante visita a Pequim, em novembro, o presidente do Brasil presenteou o mandatário chinês, Xi Jinping, com um casaco do clube, que havia se classificado à final da Libertadores dias anteriores e foi chamado de "o melhor time do Brasil da atualidade" por representante brasileiro.

Na decisão do torneio continental, Bolsonaro externou a sua torcida pelo Rubro-Negro durante a sua presença em um evento militar, no Rio. No dia da partida contra o River Plate, afirmara que "hoje todos nós somos Flamengo".

Depois, na final do Mundial de Clubes, entre Flamengo e Liverpool, Bolsonaro se manifestou em seu Twitter lamentando a derrota da equipe rubro-negra.

Siga o UOL Esporte no

Flamengo