PUBLICIDADE
Topo

Prass: "Não sei se tenho tamanho para jogo de despedida no Palmeiras"

Bruno Ulivieri/AGIF
Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

07/04/2020 15h33

Por opção da diretoria, que não renovou seu contrato, Fernando Prass deixou o Palmeiras, em dezembro, depois de sete temporadas, acumulando três títulos nacionais importantes, em uma trajetória que começou aceitando chegar para jogar a Série B do Campeonato Brasileiro. Mas o hoje goleiro do Ceará não se sente com o status de Marcos e Alex para, como os dois campeões da Libertadores de 1999, ganhar uma partida de despedida no clube.

"Já se cogitou isso. Mas, quando vejo que quem teve jogo de despedida foram Alex, Marcos, grandes nomes, lendas do futebol, eu, sinceramente, não é falsa modéstia, não sei se tenho tamanho para ter um jogo de despedida só para mim", disse o goleiro ao Esporte Interativo.

"De repente, se fosse um jogo específico, como o Dracena teve, de último jogo como profissional com a camisa do Palmeiras. Mas exclusivamente um jogo só para a minha despedida... Não sei se tenho tamanho para isso, não. Sinceramente", continuou argumentando o jogador.

Edu Dracena se despediu do futebol na vitória por 5 a 1 sobre o Goiás, em 5 de dezembro do ano passado, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, e deixou de ser zagueiro para ser assessor técnico do Palmeiras. Fernando Prass, por sua vez, preferiu continuar atuando profissionalmente.

Marcos ganhou um jogo de despedida em 11 de dezembro de 2012, 11 meses após anunciar sua aposentadoria, no Pacaembu, já que o Palestra Itália estava em reforma para virar o Allianz Parque. O ex-goleiro reuniu campeões da Libertadores de 1999, com outros ídolos do Palmeiras, para enfrentar a Seleção Brasileira campeã da Copa do Mundo de 2002. Alex, por sua vez, atuou ao lado de jogadores históricos do Verdão contra um time formado por amigos e ex-companheiros dele, em 28 de março de 2015, no Allianz Parque.

Fernando Prass acertou com o Palmeiras em dezembro de 2012, pouco depois de o clube ser rebaixado no Brasileiro. Ganhou a Série B e, depois, foi o nome da conquista da Copa do Brasil de 2015, atuando, também, nos títulos brasileiros de 2016 e 2018. Aos 41 anos, deixou o Verdão com 274 jogos, virando o oitavo goleiro a mais atuar na história do clube. Porém, somente agora parece sentir realmente o carinho que o palmeirense tem por ele.

"Quando me perguntavam se eu era ídolo do Palmeiras e eu dizia que não conseguia responder porque, de dentro, não se consegue ver isso. Hoje, vejo o carinho da torcida por mim", comentou Prass, que completará 42 anos de idade em julho e tem contrato com o Ceará até o final desta temporada.

Palmeiras