PUBLICIDADE
Topo

O que o Palmeiras planeja para seus machucados durante as férias

Mayke em ação pelo Palmeiras contra o Ceará no Brasileirão do ano passado - Cesar Greco/SE Palmeiras
Mayke em ação pelo Palmeiras contra o Ceará no Brasileirão do ano passado Imagem: Cesar Greco/SE Palmeiras

01/04/2020 08h00

Em 16 de março, com a confirmação da parada de todos os campeonatos que disputa, o Palmeiras liberou o elenco por tempo indeterminado, mas, a princípio, manteve por mais três dias o trabalho com lesionados na Academia de Futebol. Depois, reforçando a quarentena, o lateral-direito Mayke e o atacante Luan Silva também foram mandados para casa, com uma cartilha. Em entrevista ao LANCE!, Daniel Gonçalves, diretor científico do clube explicou a situação dos dois jogadores.

Espera-se que a dupla volte às atividades em condição de jogo. Daniel mostrou mais tranquilidade em relação a Mayke, que na última semana de treinamento já trabalhava fisicamente no gramado. Quem estava mais atrás na evolução era Luan Silva, mas, ainda assim, acredita-se que o tempo será suficiente para que ele se reapresente em condições de jogar quando a pandemia do coronavírus estiver sob controle.

Luan Silva sofreu contusão na coxa esquerda no último dia 8, após jogar seus primeiros 42 minutos com a camisa do Palmeiras no empate por 1 a 1 com a Ferroviária, no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista. Dez dias depois, foi mandado para casa com uma cartilha de exercícios e remédios para ingerir, visando a recuperação do problema muscular.

"O Luan Silva vinha se comportando bem. Acreditamos que, neste período de inatividade, fazendo uso da medicação estabelecida pelo departamento médico, ele se recupere. Não será nenhuma recuperação acelerada, mas existirá. Como não temos prazo nem tempo definido de retorno, isso acaba não sendo uma preocupação", explicou Daniel Gonçalves.

Mayke, por sua vez, sofreu uma contusão no pé esquerdo na vitória por 3 a 1 sobre o Mirassol, no dia 16 de fevereiro, também no Allianz Parque, pelo Estadual. Um mês depois, contudo, já estava bem próximo da liberação para treinar com os colegas e aparecia no gramado e na caixa de areia da Academia de Futebol para fazer trabalhos físicos individualizados. Por isso, a princípio, não preocupa.

"O Mayke já vinha em período final de transição, iniciando trabalho de modulação de carga. Acreditamos que, no retorno, o Mayke já estará apto a fazer atividades com o grupo", indicou o coordenador científico.

Assim, Mayke e Luan Silva seguem trabalhando de acordo com as orientações da comissão técnica: fazer exercícios físicos evitando aglomeração, minimizando o risco de contágio para jogadores e familiares. A programação muda de acordo com o espaço disponível para cada um, e até a possibilidade de trabalhar na areia, se possível, foi indicada.

Band Sports: Auxiliar fala sobre o trabalho com Luxemburgo no Palmeiras

Band Sports

Palmeiras