PUBLICIDADE
Topo

Diego, sinuca e Jesus: como Thiago Maia se sente à vontade no Flamengo

Thiago Maia em ação pelo Flamengo em jogo contra o Boavista - Alexandre Vidal, Marcelo Cortes & Paula Reis / Flamengo
Thiago Maia em ação pelo Flamengo em jogo contra o Boavista Imagem: Alexandre Vidal, Marcelo Cortes & Paula Reis / Flamengo

30/03/2020 08h00

É unanimidade. Todo reforço do Flamengo, nos últimos anos, ressalta a boa que recepção que tem ao chegar no Ninho do Urubu e conhecer os novos companheiros. Não foi diferente com Thiago Maia, emprestado pelo Lille, da França. Em entrevista ao canal do clube no Youtube, a "FlaTV", o meio-campista detalhou sua adaptação ao time, revelando os jogadores com quem mais conversa.

"Todos me receberam muito bem. O que mais converso é o Diego, que a gente chama de cabeça. O Everton também conversa muito comigo, o Rafinha. Sempre fui um garoto que escutou os mais velhos, no bom sentido. Se chamar de velhos eles ficam bravos", afirmou, em meio aos risos, o meio-campista.

Além dos bate-papos com os companheiros, antes e depois dos treinos no Ninho do Urubu, os jogadores realizam outras atividades no CT, como videogames e sinuca. Thiago Maia gosta do segundo - até publicou vídeos de uma partida durante a quarentena por conta da pandemia do coronavírus -, mas costuma ter "problemas" ao desafiar dois colegas do Flamengo: Everton Ribeiro e Renê.

"Eu jogo com o Everton [Ribeiro], mas não tenho um bom aproveitamento, não. Ele já ganhou de mim lá [no CT]", declarou Thiago Maia.

"Tem o Everton e o Renê. Os dois são bons para caramba [na sinuca]", completou.

Com a suspensão de Willian Arão, expulso na final da Recopa Sul-Americana, o volante ganhou oportunidades de Jorge Jesus nas duas partidas que o Flamengo fez na fase de grupos da Libertadores e foi bem, caindo nas graças da Nação. A concorrência no setor é grande, com Arão e Gerson, os titulares das históricas campanhas dos títulos conquistados em 2019.

Em sua chegada ao Rubro-Negro, o camisa 33 conversou com Jorge Jesus a respeito das funções que pode exercer em campo, se colocando à disposição para atuar em outras posições caso o treinador ache necessário.

"Minha posição de origem é volante, mas sou aberto a fazer qualquer posição dentro de campo. O Mister [Jorge Jesus] me perguntou quais posições eu já tinha jogado. Já joguei de tudo, menos de goleiro. Não quer dizer que vou fazer 100% perfeito como lateral, zagueiro ou atacante, mas se ele precisar eu faço", disse o reforço.

Band: Palmeiras da década de 1990 bateria o Flamengo atual, diz Roberto Carlos

Jogo Aberto

Flamengo