PUBLICIDADE
Topo

No Japão, Gabriel Xavier fala sobre coronavírus e lamenta por Olimpíada

29/03/2020 14h37

Em alta no Nagoya Grampus, Gabriel Xavier tem vivido de perto com os problemas que o Japão vem enfrentando com a pandemia do novo coronavírus. Neste domingo, durante live no Instagram da empresa 4ComM, que gerencia sua carreira, o camisa 10 comentou como os dias têm sido.

- Perto dos outros lugares do mundo, aqui está controlado um pouco, muito pela consciência do povo japonês. Eles estão acostumados a usar máscaras, álcool em gel... Mas temos de tomar todos os cuidados necessários. Como disse, por essa consciência do japonês, mesmo com toda essa preocupação, acaba sendo um lugar seguro - ressaltou Gabriel.

O Japão 59 mortes em função da COVID-19 até este domingo, com pouco mais de 2 mil infectados confirmados. O país vinha conseguindo controlar a curva de crescimento da epidemia mesmo sem impor quarentena à população - o primeiro caso por lá foi registrado pouco depois da China -, mas os números preocupam e agora já há a recomendação para que as pessoas não saiam de casa. Na última semana, inclusive, os jogos olímpicos em Tóquio, que aconteceria no meio de 2020, foram adiados e passaram para 2021.

- As Olimpíadas foram canceladas, com isso dá para ver o tamanho da gravidade do problema que estamos passando. É uma mistura de sentimentos. Alívio por conta dos atletas pela decisão tomada, mas triste por outro lado, pois é um evento muito bacana e teríamos o privilegio de acompanhar de perto. Mas foi a melhor decisão, o mais importante é a saúde dos atletas e do mundo todo - disse Xavier.

No Japão desde 2017, quando foi eleito o melhor jogador do clube na temporada, Gabriel contou que recebeu folga de cinco dias do Nagoya por conta do aumento de casos de coronavírus no país. Ele relatou as precauções que todos estão tomando.

- Estávamos treinando no CT, mas agora recebemos cinco dias de folga por conta de que aumentou o número de casos no Japão, então a princípio vamos ficar cinco dias em casa. Pelo que a gente se informa, parece que não existe uma lei obrigatória do governo em relação a uma quarentena obrigatória. O Governo pede que as pessoas fiquem em casa, tomem as devidas precauções e o japonês segue muito à risca isso - concluiu o camisa 10.

Futebol