PUBLICIDADE
Topo

Santos: Diretoria decide rescindir por justa causa contrato de Diogo Vitor

Diogo Vitor em atuação pelo sub-23 do Santos - Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Diogo Vitor em atuação pelo sub-23 do Santos Imagem: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

19/03/2020 15h37

Em reunião realizada nesta segunda-feira, o Comitê de Gestão do Santos decidiu de forma unilateral rescindir por justa causa o contrato de Diogo Vitor. O atleta não comparece aos treinamentos do time B desde fevereiro e não respondeu as notificações enviadas pelo Departamento de Futebol do clube.

O jogador atrasou em uma semana a sua reapresentação, em janeiro, e alegou a diretoria problemas pessoais envolvendo o seu filho recém-nascido. Posteriormente, o atacante deixou de comparecer aos treinamentos sem se justificar.

Segundo Matheus Rodrigues, membro do comitê gestor, ao programa "Revista do Esporte", da TV Cultura Litoral, a decisão foi tomada pelo CG e passará ao Departamento Jurídico e Superintendência de Futebol antes de chegar ao jogador.

"Nós tomamos uma decisão na segunda-feira no Comitê de Gestão. Não entramos com a documentação, porque passarmos para o jurídico pro mesmo dia, para que a partir do seguinte, que seria terça-feira agora, tomasse as providências mediante ao atleta, primeiro notificando a decisão do Comitê de Gestão ao superintendente William Thomas, pra daí em diante, o William, junto com o atleta e o jurídico formalizarem pelo menos a decisão do Comitê de Gestão", disse.

Embora chateado com o desfecho da trajetória de Diogo Vitor com a camisa santista, Matheus demonstrou tranquilidade quanto a parte feita pelo clube.

"Falo com tranquilidade e com dor no coração, nós demos todas as chances possíveis, oportunidades, tratamento, conversas. Então, assim, é um baita cara, de verdade, mas infelizmente na profissão que exerce hoje, você precisa estar com cabeça no lugar e estar focado para aquilo que pretende."

Cria das categorias de base do Peixe, Diogo teve a sua primeira chance entre os profissionais em 2015, aos 18 anos, mas as inúmeras ausências injustificadas nos treinamentos prejudicaram a sua sequência no time principal. Em abril de 2018, o atacante foi flagrado no exame antidoping por uso de cocaína e ficou 18 meses afastado, retornando em outubro do ano passado. No total, foram dez jogos com a camisa do Santos e um gol marcado.

Santos