PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Derrota na Supercopa do Brasil liga o sinal de alerta no Athletico

17/02/2020 14h17

Na manhã do último domingo, o Athletico foi até Brasília para disputar a taça da Supercopa do Brasil diante do Flamengo e acabou derrotado por 3 a 0, resultado que ligou o sinal de alerta para elenco, comissão técnica e diretoria.

Um dos pontos que ficaram mais explícitos ao longo dos 90 minutos foi a fragilidade do Furacão no sistema ofensivo. Sem Marco Rubén, que foi um grande diferencial da última temporada, Dorival Junior entrou em campo sem uma referência e pouco agrediu o Flamengo. O lance mais agudo veio no segundo tempo, quando Bisolli acertou o poste de Diego Alves.

Na etapa final, quando o Athletico pouco viu a cor da bola, Marquinhos Gabriel foi o escolhido para jogar de 'falso 9'. A tática não funcionou. Perdido, o meio-campista não se entendeu com Rony e Nikão. Ele conseguiu criar apenas uma chance, quando aproveitou um chutão de Santos e exigiu boa defesa de Diego Alves.

Por falar no meio-campo, que foi um expoente em 2019, ele pouco existiu neste fim de semana. Sem Bruno Guimarães, a equipe perdeu a qualidade na saída de jogo e o time de Dorival Júnior teve dificuldade de encaixar a marcação.

No sistema defensivo o susto do torcedor athleticano deve ter sido imenso. Com a saída de Léo Pereira, Thiago Heleno bateu cabeça com Lucas Halter. Na direita, Khellven teve dificuldades com as investidas do rival e Márcio Azevedo não esteve em uma jornada iluminada.

É claro que o ano está no início e o time principal disputou apenas o seu segundo jogo, mas já deu para Dorival entender que, a sua equipe precisa de ajustes emergenciais, caso contrário, dificilmente o Furacão vai lutar por algo maior na temporada.

Futebol