PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Ao L!, Negueba revela momentos difíceis na carreira: 'Pensei em parar'

17/01/2020 09h00

Negueba se destacou na base do Flamengo e em 2011 teve os holofotes para si ao brilhar na conquista do segundo título da Copa São Paulo da equipe carioca. A boa fase o levou para a base da Seleção Brasileira . No entanto, a chegada ao profissional não foi como ele esperava. Em entrevista ao LANCE!, Negueba revela dificuldades no amadurecimento dentro do futebol e fala sobre suas experiências até o momento atual.

INÍCIO

O jogador que surgiu como uma das grandes promessas do Rubro-Negro deu seus primeiros passos como profissional em 2010, voltou para a base, onde ganhou o título da Copinha, foi eleito o melhor jogador da competição, marcou gol do título, e depois foi reintegrado ao elenco profissional por Luxemburgo. No entanto, o atleta relata algumas mudanças que atrapalharam a sua chegada ao primeiro time.

- Eu acho que as coisas não aconteceram no profissional como aconteceram na categoria de base porque na base eu jogava em uma posição e no profissional mudei de posição. Mas isso não é desculpa, faltou um pouco de maturidade na época e isso me prejudicou um pouco.

LUXEMBURGO

A sua relação com Vanderlei Luxemburgo sempre foi muito positiva e o treinador, que hoje está no Palmeiras, tinha costume de elogiar publicamente o jogador, que buscava seu espaço no elenco. O técnico tinha o costume de dizer que Negueba tinha "alegria nas pernas" e a frase pegou entre os torcedores e o grupo na época.

- A relação com o professor Luxemburgo era a melhor possível, me ajudou bastante, me incentivou, me deu bronca na hora que tinha que dar e aprendi muito com ele e só tenho a agradecer pelo o que fez por mim. Ele tinha uma atenção maior por mim por ser mais novo.

Sobre as brincadeiras com relação a frase do ex-treinador, Negueba acredita que não ficou marcado negativamente por elas.

- Acho que marcou pelo fato de eu não ter rendido o esperado, mas trato isso com naturalidade, pois foi uma fase e depois tive outros bons momentos no Coritiba que me levaram ao Grêmio, mas não vejo isso como um aspecto negativo na minha carreira.

LESÕES E EXPERIÊNCIAS

Além do Flamengo, Negueba teve outras oportunidades na carreira e um dos primeiros clubes que abriu as portas para o jogador foi o São Paulo. No entanto, a passagem pelo clube não foi positiva e foi um dos momentos mais difíceis da carreira do jogador. Em 2014, um dia após ser apresentado, o atacante sofreu uma séria lesão no joelho que o afastou dos gramados por seis meses.

- A lesão foi muito marcante na minha carreira até porque eu estava vindo em um momento complicado e veio essa oportunidade de defender o São Paulo, podia ser um grande recomeço. Eu fiquei muito chateado, foram meses muito complicados de muita força, muita determinação. Pensei as vezes em parar de jogar achando que talvez não desse para voltar a jogar, comentou.

Em 2019, Negueba teve a mesma lesão de 2014 e ficou meses sem poder atuar. No entanto, essa e outras experiências ajudaram o atleta a amadurecer até o momento atual. Com 27 anos, o jogador está feliz no futebol coreano, onde faz pré-temporada na Tailândia, mas não fecha as portas para um retorno ao futebol brasileiro.

- Aprendi muita coisa com passagens por Flamengo, São Paulo, Grêmio e amadureci muito com acertos e erros. Esse amadurecimento está aparecendo agora no futebol coreano, pelo fato de estar distante da família, o esquema de jogo é bastante diferente, aqui tem que ser bastante disciplinado, meu primeiro ano foi muito bom. Agora estou ralando na pré-temporada e o mais importante é voltar bem, com confiança, para correr atrás dos objetivos de novo. Eu penso em ficar um pouco mais, pois eu e minha família estamos muito bem aqui. Quem sabe um dia eu possa voltar à elite do futebol brasileiro.

ROGER MACHADO

Negueba também teve uma passagem rápida pelo Grêmio, foram seis meses no ano de 2016 sob o comando de Roger Machado, atualmente técnico do Bahia. Dentre tantos profissionais com quem já trabalhou por diversos clubes do país, o atacante destacou seu ex-treinador como um dos melhores que já teve na carreira.

- Apesar do pouco tempo trabalhando com o Roger, ele é muito estudioso, muito inteligente e é uma pessoa que entende muito de futebol. Ele me ensinou bastante.

O atacante que chegou na Coréia no meio de 2019 tem planos de aproveitar mais tempo com a família e com os amigos brasileiros que tem no país. Será a primeira temporada do jogador na K League 2, a segunda divisão do futebol coreano, após o Gyeongnam ter sido rebaixado na última temporada. Negueba espera reencontrar a "alegria nas pernas" em mais uma etapa de sua carreira.

Futebol