PUBLICIDADE
Topo

Botafogo foca na evolução da parte física no início da pré-temporada

Alberto Valentim comanda o time do Botafogo diante do Internacional, no Nilton Santos - Vitor Silva/Botafogo
Alberto Valentim comanda o time do Botafogo diante do Internacional, no Nilton Santos Imagem: Vitor Silva/Botafogo

10/01/2020 07h30

Saem as bolas e entram os halteres, anilhas e pesos. Até aqui, este tem sido o cenário da pré-temporada do Botafogo, iniciada oficialmente na última quarta-feira. Com os jogadores retornando de um período de quase 30 dias de férias, a prioridade nas bandas do Estádio Nilton Santos, em um primeiro momento, tem sido reforçar a parte muscular, e não a fase tática.

Não por isto, vale ressaltar, que o trabalho dentro das quatro linhas tem sido deixado de lado por Alberto Valentim. Muito pelo contrário: nos dois dias de atividade desde o retorno dos jogadores, um dos períodos de treinamento - os atletas estão treinando em período integral - foi moldado no trabalho com bola, principalmente focado em passes curtos e jogadas dinâmicas. A prioridade, contudo, é realmente o fortalecimento da parte muscular.

"Ontem (quarta), pela manhã, foi a reapresentação. Eles (jogadores) já fizeram as avaliações físicas e médicas, para a gente já poder ver como cada um está se apresentando. Agora, vamos analisar os números e definir a estratégia para cada atleta. No período da tarde, eles já foram para campo, procuramos fazer essa readaptação, visto que ficaram 30 dias curtindo as férias, o que faz parte do processo físico de cada. Terminamos a sessão de trabalho em campo com readaptação da parte muscular, para minimizar as chances de ter alguma baixa", afirmou Felipe Capella, preparador físico, em entrevista à "Botafogo TV".

Após a realização de exames físicos e de rotina no dia inaugural, os jogadores vem pegando pesado na parte de musculação e na academia desde então. A intenção é uma: fortalecer o corpo para evitar lesões no primeiro semestre de 2020, marcado por jogos de semanas cheias - seja por compromissos do Campeonato Carioca ou partidas da Copa do Brasil, que podem demandar longas viagens pelo país.

"A gente vai aguardar os resultados das avaliações para ter um dado conclusivo e ver como cada atleta está. O que eu posso dizer é que o comprometimento, dedicação e o empenho em querer fazer o trabalho da maneira possível é uma coisa que agrada a gente. Dá um norte de que vamos conseguir um belo trabalho na temporada, já visando Estadual e Copa do Brasil", analisou o preparador físico.

Capella analisa que o estilo de jogo implantado por Alberto Valentim, com gosto para equipes que pressionam alta e possuem intensidade no campo de ataque, ajuda nesse momento. Os jogadores, por serem exigidos dentro do gramado, ficam mais capacitados neste período de treinos, afirma o preparador físico.

"O trabalho de Valentim exige muito fisicamente dos atletas. É um facilitador para a preparação física. Nós, deste departamento, ficamos muito mais preocupados com a parte neuromuscular do atleta, os trabalhos de ganho de força e mobilidade. Mas essa parte de pré-treino do que o campo. O Alberto já me dá a condição física pelo trabalho no campo de uma maneira que, para gente, facilita bastante. É lapidar um ou outro atleta, vamos individualizando e melhorando integralmente", finalizou.

Botafogo