PUBLICIDADE
Topo

Esperamos brigar no topo da tabela de 3 a 5 anos, diz CEO do Bragantino

Thiago Scuro, CEO da parceria entre Bragantino e Red Bull - Divulgação/FPF
Thiago Scuro, CEO da parceria entre Bragantino e Red Bull Imagem: Divulgação/FPF

09/01/2020 08h35

O sonho de se consolidar na elite do Brasileirão voltou a ser acalentado no dia a dia em Bragança Paulista. Credenciado pela conquista da Série B em 2019, o Red Bull Bragantino dá asas a um projeto ainda mais arrojado nesta temporada, que inclui um aporte financeiro na casa dos R$ 200 milhões só em contratações e um projeto de longo prazo.

"Esperamos conduzir um processo para que o time brigue na ponta de cima da tabela de três a cinco anos. Para que isso aconteça, é importante ter continuidade não só de ideias, mas de jogadores também", afirmou, ao "Lance!", Thiago Scuro, CEO da parceria entre Bragantino e Red Bull.

Para seu retorno à Série A após 22 anos, o Massa Bruta estabeleceu um perfil ideal de reforços. Jovens vêm desembarcando para a pré-temporada, realizada em Itu.

Até o momento, chegaram ao Red Bull Bragantino o zagueiro equatoriano Léo Realpe, de 18 anos, que estava no Independiente del Valle, o meio-campista Matheus Jesus, de 22 anos, cedido pelo Corinthians, e o atacante Alerrandro, centroavante de 19 anos, que veio do Atlético-MG.

"As contratações visam um modelo de jogo, uma ideia. Nos jogadores jovens, a forma de adaptarem seu futebol ao nosso estilo é maior do que em um jogador já consolidado. O propósito é completamente técnico, não é econômico", afirmou Scuro.

O clube oficializou ontem a contratação de Artur. O atacante de 21 anos, que se destacou no Bahia durante o Brasileirão, fez o Red Bull Bragantino abrir os cofres: foram cerca de R$ 25 milhões pagos ao Palmeiras, detentor dos direitos econômicos do jovem, que ainda tem passagens pelo Londrina e pela Seleção Olímpica.

Outro atacante está a caminho do clube: Thonny Anderson. O jogador de 22 anos, que no ano passado defendeu Athletico-PR, tem seus direitos ligados ao Grêmio.

Meio-campista que foi bem na campanha do Bragantino na Série B do ano passado, Pedro Naressi exalta que a mescla do elenco dá solidez à equipe.

"O projeto feito aqui contribui muito para mantermos uma equipe ofensiva. A chegada dos jovens dá uma mescla interessante ao elenco. Nós já temos jogadores como o Júlio César, o Ligger, o Uillian Correia, com mais experiência, e isto faz com que nós, os mais jovens, também fiquemos em alto nível", declarou.

Visto como um "paizão" do elenco do Massa Bruta, Júlio César destaca a estrutura que está à disposição dos jogadores.

"A Red Bull é uma empresa que sabe investir e oferece a melhor estrutura possível para nós. Vamos mostrar que o Bragantino não está na Série A somente a passeio. Há um projeto grande, e espero fazer o meu melhor também", disse o goleiro de 35 anos.

Energia parece não faltar ao Red Bull Bragantino neste primeiro ano após seu acesso.

Segue negociação para contratar técnico

A dúvida que ainda paira o Red Bull Bragantino é em relação a quem comandará a equipe na temporada da volta à elite. Após Antônio Carlos Zago ter aceitado o convite para assumir o Kashima Antlers (JAP), o clube do interior paulista avançou as negociações para que o português Carlos Carvalhal (que atualmente comanda o Rio Ave) desembarque em Bragança Paulista.

De acordo com informações do UOL, Thiago Scuro tenta pessoalmente saber quais são as pretensões de Carvalhal como comandante. Ao 'Lance!", o CEO do Red Bull Bragantino detalhou o que procura no sucessor de Zago.

"A prioridade é trazer um treinador que tenha estilo de jogo parecido com o do clube. Não queremos alguém que venha para ser o dono do clube, mas para contribuir com boas ideias", afirmou.

No momento, o interino Vinicius Munhoz tem conduzido o elenco no decorrer da pré-temporada.

As perspectivas para a temporada

Há a expectativa de investimento forte no futebol do Bragantino. O torcedor pode esperar a equipe ambicionando voos maiores já neste ano?

Temos que manter os pés no chão. As decisões são tomadas de forma racional, tanto quando a fase está boa, como em uma possível fase de resultados que não esperamos. Como todo time que sobe, a primeira ideia é se manter na Série A e, quem sabe, brigarmos por uma vaga na Sul-Americana.

Quais legados da conquista da Série B o Bragantino tende a aproveitar este ano?

O salto da Série B para a Série A é muito grande. Temos que ter consciência disso. Temos um modelo de jogo e uma forma de trabalhar que já foram vistas na Série B. Fazendo as adaptações necessárias para a A, pretendemos dar continuidade a essas filosofias que fazem parte do clube.

O que vocês projetam para as demais competições do ano?

O nosso grande objetivo é estruturar todas as áreas do clube, criar um ambiente agradável para que o povo de Bragança Paulista veja os nossos jogos como um ponto de encontro da cidade. Os resultados são coisas que não conseguimos controlar. Claro que todos querem ganhar tudo, mas não seria justo prever resultados em competições.

Como está o projeto de reforma do Nabi Abi Chedid?

Estamos trabalhando para deixar o estádio cada vez mais confortável para quem venha assistir aos jogos. Vamos estabelecer um plano de reformas gradativas, para que o time continue mandando seus jogos em Bragança, mesmo durante as reformas. Esperamos que, em cerca de dois anos, possamos apresentar um modelo de estádio que nos dará possibilidades de diversas ativações e ele terá capacidade para cerca de 20 mil pessoas.

Júlio César: A voz da experiência

"É muito importante contarmos com este aporte financeiro que o clube tem oferecido para nós. Acredito que o Red Bull Bragantino chegue forte neste ano para disputar a competição contra times que têm investimento alto. Sabemos o quanto o desafio será intenso, que há uma diferença grande entre disputar a Série B e a Série A. No entanto, a estrutura que temos e a motivação pela conquista do ano passado vão fazer com que a gente chegue mais motivados e mais respeitados a cada jogo."

Também acho fundamental esta chegada dos jogadores jovens ao clube, pelo contexto no qual está o futebol. Nosso grupo tem uma mescla muito boa. Além disto, os garotos já têm uma bagagem e, na hora em que precisarmos, a vivência deles fará a diferença
Julio César, goleiro do Red Bull Bragantino

Pedro Naresi: Conhece bem a área

"Comecei no Red Bull no sub-17 (antes do clube selar a parceria com o Bragantino), e sempre dentro do clube se falava no desejo de torná-lo uma potência no Brasil. Tenho o privilégio de crescer da mesma forma que o projeto vem evoluindo."

"Foi bem desafiador, porque é uma evolução que precisa ser constante, mas sabíamos que o salto poderia chegar em algum momento. Nosso CT, nossas viagens para intercâmbios em torneios internacionais como na Áustria, mostravam o respeito que as pessoas tinham pelo que a gente ambicionava."

Nós, formados aqui no clube, sabemos da responsabilidade de corresponder em campo devido ao trabalho que é feito há muito tempo. Para este ano, acredito que tenhamos um investimento financeiro alto devido à diferença de uma divisão por alto
Pedro Naresi, meio-campista do Red Bull Bragantino

Queremos ter objetivos grandes na Série A. Além disto, o aporte muda nosso dia a dia, com inovações nas instalações, melhorias na estrutura, como CT, academia, campo e outras áreas. E os torcedores podem esperar uma equipe bem organizada, com a ideia de jogo bem decidida, que busque surpreender a cada partida.