PUBLICIDADE
Topo

Em Doha, Leandro se emociona com convite, diz ser 'pé quente' e arrisca palpite em uma eventual final

15/12/2019 11h43

O torcedor do Flamengo sabe de cor a escalação da equipe campeã do mundo em 1981, em cima do Liverpool, em Tóquio. Agora, a história pode se repetir e ter como palco Doha. E um dos destaques do time vencedor de 38 anos atrás está com a delegação atual para trocar experiências e, de certa forma, ter a sua história reverenciada.

> Confira a tabela do Mundial de Clubes

Ex-lateral-direito e zagueiro, Leandro é só gratidão com a diretoria rubro-negra, que o convidou. Neste domingo, esteve presente no Estádio Abdullah bin Khalifa, no primeiro treino de Jorge Jesus no solo da capital do Qatar.

- Estou me sentido honrado pelo convite da diretoria do Flamengo. É um sentimento muito bacana, mexe com a gente mesmo. Vêm lembranças de 81, sem dúvida, podendo culminar no segundo título e com o mesmo adversário. Claro, temos que ir firme para o primeiro jogo, mas para mim, se eu tiver a oportunidade de ser bicampeão, agora como torcedor, vai ser um dos melhores prazeres do mundo que o Flamengo poderá me proporcionar.

Na Libertadores desta temporada, Leandro foi convidado para estar nos bastidores antes do jogo contra o Peñarol, no Uruguai, quando o Flamengo saiu com um empate do Uruguai e passou às oitavas no sufoco. Virou amuleto:

- Eu me considero pé quente. Lógico que nem sempre se ganha. Fui chamado contra o Peñarol numa dificuldade danada, dei sorte também, iniciando uma arrancada para nos colocar onde estamos hoje. Recebi brincadeiras no WhatsApp de amigos dizendo que, agora, comigo aqui, as chances aumentam.

Leandro disse que costuma ter um contato breve com jogadores do atual elenco e que passou para os comandados de Jesus que eles precisam "agarrar com unhas e dentes" a oportunidade do bi mundial, citando um toque importante do ex-goleiro Raul na década de 80. Além disso, evitou comparações:

- O Flamengo também era o da América do Sul (em 1981). Naquela época, conseguiu uma regularidade muito grande, e a comparação é complicada pois você pode ser injusto com algumas pessoas. Na nossa época, nós éramos os melhores e, agora, são eles. Nós já aproveitamos a nossa chance, tomara que eles possam aproveitar a deles agora.

OPINIÃO SOBRE JORGE JESUS

- Sobre o Jorge Jesus, penso igual todos estão pensando: uma grata surpresa para a gente. Eu não conhecia o seu trabalho no Brasil. E, com as contratações que vieram, dois bons laterais, um zagueiro, e o Gerson, ele montou um time fabuloso. E eu, como rubro-negro, só tenho a agradecer pelo trabalho e torcer para que ele fique no Flamengo para que ajude, não só o clube, mas o futebol brasileiro como um todo - finalizou, aos jornalistas presentes no estádio do Al Duhail.

Futebol