PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Montenegro comemora aprovação da Botafogo S/A: 'Era muito difícil continuar do jeito que estava'

13/12/2019 09h00

No fim da reunião, aplausos. Não era para menos. Por unanimidade, o Conselho Deliberativo do Botafogo aprovou a continuidade do processo de mudança para clube-empresa, na última quinta-feira, em General Severiano. Após o evento, Carlos Augusto Montenegro, presidente do Alvinegro entre 1994 e 1996 e atual membro do comitê do futebol, comemorou o fato.

- Um dia que vai mudar a história do Botafogo, em que o Conselho Deliberativo deu aval, com louvor, a todo o trabalho feito. Acho que agora passa a ser o pioneiro de clube-empresa no Brasil. Os clubes têm que sair com essa solução, até porque é o que acontece no mundo. A gente não tem que inventar. Era muito difícil continuar do jeito que estava. A gente ia ficar sempre disputando não cair para a Série B, evitar quedas. Com isso, a gente tem a chance de voltar a disputar todos os campeonatos. Estou muito feliz porque sei que hoje o Botafogo tem futuro - afirmou.

A mudança, contudo, não acontecerá em pouco tempo. Montenegro afirmou que uma previsão realista é que a alternância de gestão total se dê em três a cinco meses, provavelmente após o Campeonato Carioca. Portanto, o dirigente afirmou que o Botafogo inicia 2020 da mesma maneira que terminou 2019: com dificuldades financeiras. Para ele, a necessidade é de pés no chão.

- Isso é um período de transição, porque a gente não tem ainda investidor. Então, a gente está com salários atrasados, fornecedores atrasados. A gente tem que botar o pé no chão. Não adianta gastar sem ter dinheiro. A gente espera que essa redução seja por um período curto. Assim que entrar investidor, aí volta ao normal. É aí que a gente volta a disputar campeonatos. É em torno disso. A gente não está fazendo mágica. Acabou o contrato, liberou. Só essa liberação representa uma redução de 1 milhão e meio aproximadamente - analisou.

O dirigente lamentou que não há nenhum tipo de solução a curto prazo ao Botafogo. A expectativa de Montenegro, porém, é que o Botafogo já tenha de condições de montar uma equipe competitiva quando o Campeonato Brasileiro iniciar.

- Sentimento triste. Ainda bem que está acontecendo no começo do ano. Campeonato estadual. É correr para ver se no Brasileiro a gente já melhora e recebe um oxigênio e possa disputar, mas eu sempre fui mais torcedor do que dirigente. Dirigente eu sou quebra galho, me chamam às vezes para ajudar - completou.

Por mais que esta questão de uma possível demora possa ser prejudicial a nível desportivo no Carioca, Montenegro afirma que este é o único caminho para que o Botafogo alcance uma nova luz. O dirigente afirmou que, com o processo ainda mais encaminhado, intensificará a busca por investidores.

- O torcedor entende, sabe que a gente não tem como inventar. O torcedor não aguenta mais humilhação, com times fracos, não disputando campeonatos e sim torcendo pelos outros para não cair. Agora a gente tem que tentar abreviar o máximo possível essa transição. Agora além de trabalho, tem que dar sorte de encontrar os investidores para realmente a gente virar um clube-empresa - finalizou.

Futebol