Topo

Mano já molda o espírito que quer para o Palmeiras no ano que vem

Mano Menezes, técnico do Palmeiras - Bruno Ulivieri/AGIF
Mano Menezes, técnico do Palmeiras Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

18/11/2019 07h00

Se o Palmeiras não vencer o Grêmio no domingo, no Allianz Parque, o título brasileiro será do Flamengo. Diante da confirmação que se espera, Mano Menezes já molda não só o elenco, mas o espírito que deseja ver no clube no ano que vem. E expôs publicamente duas mudanças que exige: frieza para acertar em momentos decisivos e maior cobrança entre os próprios jogadores.

"A cobrança dentro do campo precisa ser maior. A cobrança boa, de mostrar caminho. Às vezes, temos um jogador que está muito abaixo, e é importante, pela função. Precisamos chegar ao lado dele e orientar um pouco. É muito difícil jogar com alguém que está muito fora. Você fica com um a menos, praticamente, e a bola precisa passar em jogadores importantes para chegar bem à frente", indicou o técnico após o 1 a 1 diante do Bahia, no domingo.

"Os jogadores têm experiência para colocar um jogador de volta no jogo. Essa cobrança também tem de ser um pouquinho maior, mais lúcida, saber o que se fala e como se fala. Equipes experientes como a nossa fazem isso com muita frequência e temos de fazer mais. Isso precisa melhorar um pouquinho."

A declaração de Mano é uma explicação para a mudança de comportamento que o Verdão tem mostrado depois do intervalo. O técnico admite que o time melhora para o segundo tempo com suas orientações, mas pede mais ação dos jogadores para que não seja necessário esperar tanto tempo. Lembrou que os ajustes já deram certo até sem a necessidade de substituições.

Entre a conversa dentro de campo para arrumar o que está dando errado, Mano cobra que a experiência apareça para decidir. O Palmeiras tem as mesmas três derrotas do Flamengo, mas está 13 pontos atrás por ter empatado mais, em jogos nos quais teve chance de ganhar, como neste segundo turno diante de Inter, Athletico-PR, Corinthians e Bahia.

"Não vou tornar públicos todos os problemas que temos, mas precisamos ser decisivos nos momentos decisivos. Já fomos outras vezes com os mesmos jogadores. Então, não é questão de qualificação. Estamos discutindo momento diferente do campeonato, pressão maior, jogos decisivos, e temos de nos acostumar a ser, nestes jogos, na reta final, o que fomos muitas vezes durante o campeonato. Se você deixa de fazer bem, ficam os pontos pelo caminho", explicou o treinador

Segundo colocado do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras chegou a 68 pontos, 13 a menos em relação ao Flamengo, que disputou uma partida a mais. No domingo, às 18h, no Allianz Parque, recebe o Grêmio, pela 34ª rodada.

Ouça o podcast Posse de Bola, a mesa redonda do UOL sobre futebol, com Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira.

Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

Palmeiras