Topo

Futebol


Em meio a Ilha do Retiro lotada, Sport fica no empate com o Vila Nova

17/11/2019 18h03

A festa para a confirmação do Sport na Série A em 2020 estava pronta. Porém, parece que não foi devidamente combinada com o Vila Nova já que, em jogo da 36ª Rodada na Série B do Brasileirão, o resultado de 0 a 0 acabou sendo bem mais frustrante aos donos da casa.

Agora, o Leão fica com 64 unidades em segundo lugar e ainda precisa de mais um ponto para certificar seu acesso. Já o Vila, com 35 pontos e em 19°, ficará a no máximo seis de distância para o Figueirense dependendo do resultado dos catarinenses contra o Cuiabá no Orlando Scarpelli às 18h30 (horário de Brasília) nesse domingo (17).

Como era de se esperar, o time da casa foi quem tomou a iniciativa do confronto e teve as primeiras oportunidades mais agudas de gol em duas oportunidades diferentes. Enquanto Elton bateu fraco, porém de maneira onde a bola passou próxima a trave direita de Rafael Santos, uma "puxeta" de Elton acertou o zagueiro de maneira providencial já dentro da pequena área do Vila. Isso tudo em menos de 15 minutos de partida.

Por sua vez, o time goiano tinha suas forças voltadas exclusivamente para a puxada de contra-ataque onde a melhor dessas investidas apareceu ainda no começo do compromisso com Robinho. Saindo em velocidade da marcação, o camisa 10 do Tigrão bateu cruzado, com força, e Luan Polli teve não só dificuldade para defender, mas também de contar com o corte providencial da zaga pernambucana.

Em determinados momentos com dificuldade para quebrar a marcação adversária, o Leão da Ilha seguiu martelando, mas acabou vendo os 45 minutos iniciais acabarem zerados para os dois lados.

No retorno do jogo, o Vila Nova apareceu de maneira mais agressiva dentro da sua estratégia onde, apesar de seguir com menos tempo tendo a bola nos pés, era insinuante em nível superior ao Sport.

Dentro dessa realidade, um chute que desviou no zagueiro Cléberson e Gustavo Henrique, absolutamente livre dentro da área em conclusão pra fora, foram oportunidades que o Tigrão poderia ter aberto a contagem em Recife.

Passados os 15 minutos iniciais, o time pernambucano parecia ter "retornado" ao nível de eficiência que o confronto pedia pelo menos na formulação das oportunidades.

Porém, mesmo em grande jogada individual de Guilherme bem como no passe recebido pelo próprio atacante do Leão dado por Sander, a finalização seguiu como defeito notório onde Rafael Santos e a trave apareceram como protagonistas.

Futebol