Topo

Futebol


Diniz destaca entrega do São Paulo e foca na Libertadores: 'Vamos nos desdobrar para garantir a vaga'

16/11/2019 20h23

O São Paulo segue muito próximo de conquistar a vaga para a Libertadores na reta final do Campeonato Brasileiro. Neste sábado, o Tricolor empatou com o Santos por 1 a 1, na Vila Belmiro, pela 33ª rodada do torneio nacional. Após o duelo, o técnico Fernando Diniz destacou a entrega do time, especialmente no segundo tempo, e afirma que luta pela classificação permanece até o fim.

- O ponto negativo é a pontuação, claramente. O São Paulo tem que pontuar melhor. Vamos nos desdobrar para classificar o time de maneira direta para a Libertadores. O ponto positivo é ter mudado drasticamente a característica do jogo. É um time que tem mais posse, um time que chega na Vila Belmiro e Maracanã e não se acovarda. O Santos teve mais chances no primeiro tempo, mas não fomos envolvidos. É um time corajoso - disse.

TABELA

> Veja e simule a classificação do Campeonato Brasileiro

O treinador comentou sobre a diferença entre o primeiro e o segundo tempo. Ele apontou a entrada de Liziero como uma das mudanças para a superioridade na etapa final.

- A gente não conseguia concluir, mas estava fazendo o jogo que a gente se propôs a fazer, marcando alto, ganhando quase todas as segundas bolas. Faltou definir? Concordo. Ficou amarrado. Isso foi corrigido com a entrada do Liziero, o recuo do Tchê Tchê e ser mais agressivo, atacar mais a última linha do Santos. Tivemos uma melhora expressiva no segundo tempo - acrescentou.

Diniz também foi questionado sobre a falta de títulos do São Paulo. O comandante afirmou que gera uma expectativa nos torcedores, o que é natural.

- A falta de títulos no São Paulo gera uma expectativa grande. A coisa mais importante do futebol que praticamos é o torcedor. O torcedor que é acostumado a ganhar como o do São Paulo, quando fica sem ganhar, existe um incômodo natural. Temos que suportar e saber devolver ao torcedor o que eles querem - afirmou.

Fernando Diniz também exaltou a postura de Daniel Alves. Neste sábado, o camisa 10 fez a função de um meia, mostrou bom desempenho e fez até gol. Além disso, comentou sobre o abraço do atleta após balançar a rede.

- O Daniel tem uma liderança extremamente positiva, treina todos os dias, chega no horário, vai embora depois dos outros, faz a recuperação, cuida da alimentação. É um exemplo. O São Paulo fez uma grande contratação, ele emana coisas positivas. Não trouxemos um driblador ou fazedor de gols. A cobrança em cima dele pelos títulos que ganhou é muito descontextualizada. Ele veio para somar e ajudar o São Paulo, e tem ajudado muito - elogiou.

- Para mim é gratificante. Faz parte da minha relação. Eu já falei inúmeras vezes, eu tenho certeza que tenho um desejo de fazer o melhor para o jogador, prestar um serviço de qualidade para ele render e construir uma simbiose com o torcedor. Eu procuro ser próximo para tirar o melhor de cada um - complementou.

No domingo, o São Paulo visita o Ceará, na Arena Castelão. O Tricolor perdeu a chance de encostar no Grêmio e se aproximar da vaga na fase de grupos da Libertadores. A equipe se mantém na quinta posição, com 53 pontos.

Futebol