Topo

Futebol


Vice-presidente do Villa Nova-MG e patrocinador do Flamengo busca parceria com o Rubro-Negro

16/10/2019 18h12

O empresário Fabiano Lopes Ferreira, de 1111 anos, é um apaixonado por futebol. Tanto que sua história no esporte vem de longa data, sendo conselheiro do Atlético-MG e até candidato à presidência do clube, na eleição que elegeu Sérgio Sette Câmara, em 2017.

Porém, o empresário, dona da empresa Multimarcas Consórcios, não se fixou apenas no alvinegro. Ele é o atual vice-presidente de futebol do Villa Nova, tradicional clube de Minas Gerais, além de ter a marca do seu negócio estampado em clubes grandes do país como o Flamengo, Cruzeiro, América-MG e, claro,no Villa.

Já pensando na temporada 2020 e no futuro do Villa, Fabiano, disse, com exclusividade ao L!, que busca uma parceria com o Flamengo que renderia uma troca de jogadores revelados pelo clube mineiro, além de dar rodagem a jovens talentos que estão no time carioca e não são aproveitados.

-Eu estava no Rio em uma reunião com o pessoal do Flamengo e estou tentando fechar uma parceria com eles. Nesse momento do clube, com tantos craques, alguns jovens podem não estar sendo aproveitados. Seria um prazer tê-los aqui no Villa Nova, onde poderiam jogar, serem vistos. O contrário pode ocorrer. Aparecer algum talento em nossa base e poder ter acesso ao Flamengo-disse o empresário.

Fabiano reforçou o desejo de ter o Rubro-Negro como parceiro, pois vê como uma boa vitrine para o Villa, para os jogadores que porventura terão espaço para jogar e para o Fla, que pode ter uma ponte com um dos clube mais tradicionais de Minas Gerais.

-Jogador quer jogar. Tem de jogar. Não quer ficar parado e essa é uma boa opção para que sempre esteja em atividade. Então, por que não fazer uma parceria dessas?- indagou.

Desejo de calendário maior para os clubes pequenos

Os planos de parceria com o Fla ainda são embrionários, mas o vice de futebol do Villa, que tem patrocínio ligado ao Rubro-Negro, também pensa no futuro do Leão do Bonfim, já que a temporada do clube pode durar apenas três meses, caso não se classifique para a Série D do Brasileiro.

A equipe de Nova Lima está na primeira divisão do Campeonato Mineiro, mas caso não fique entre os seis primeiros colocados, não disputará a quarta divisão, que lhe garantiria jogar pelo menos até agosto. Para Fabiano Ferreira, deveria ter um modelo de torneio que contemplasse clubes menores para terem calendário o ano todo evitando desemprego dos jogadores e paralisação dos clubes.

-Jogar somente dois meses por ano(três na verdade, que é a duração do Mineiro) torna inviável manter o futebol. Sem jogador, campeonatos, não tem como ter o torcedor, que paga a conta, com sua presença, entre outras formas de ajudar o time. Precisamos ver se as equipes ficam em atividade no segundo semestre também- concluiu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Futebol